terça-feira, 22 de novembro de 2016

Escola de Ciências Empresariais do IPVC quer receber alunos de todo o mundo

A Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), localizada em Valença, quer recebr alunos de todo o mundo. O desejo foi expresso ontem pelo director da escola, João Paulo Vieito, na cerimónia comemorativa dos 15 anos daquele estabelecimento de ensino superior. “Queremos que Valença passe a receber alunos de todo o mundo, Com esta abertura ao exterior queremos que os nossos alunos tenham acesso a diferentes realidades”, manifestou João Paulo Vieito, anunciando que no próximo ano são esperados alunos de algumas das mais importantes universidades brasileiras.
O responsável pela Escola Superior de Ciências Empresariais do IPVC revelou ainda que este ano lectivo foi “o melhor de sempre em termos de entradas”, com a admissão de cerca de 120 novos alunos. A oferta formativa de qualidade e as novas instalações foram os principais motivos de atractividade. O responsável lamentou, no entanto, que Valença não estivesse preparada para o aumento populacional provocado pelo estabelecimento de ensino superior. “Falta habitação para albergar muitos dos estudantes. É urgente sensibilizar a população residente para disponibilizar acolhimento” disse o responsável.
O presidente da Câmara Municipal de Valença, Jorge Mendes, reconheceu o problema e anunciou que “nós temos um edifício dentro da fortaleza, com três pisos que já disponibilizamos para uma residência universitária. Estamos disponíveis para comparticipar em 50 por cento da obra”, disse o autarca, frisando que a questão do alojamento de estudantes tem sido uma das preocupações da autarquia.
O presidente do IPVC, Rui Teixeira, considerou que a existência de uma escola superior em Valença foi, também, resultado da vontade da população local. “O povo quis esta escola, foi eficaz e provou que queria esta escola”, disse Rui Teixeira.
O responsável lembrou ainda a aposta na oferta formativa que passa por uma maior inter-ligação com entidades externas. “coloca-se-nos o desafio de criar massa crítica com outras instituições”, disse Rui Teixeira, salientando a necessidade de haver uma “maior proximidade entre os alunos, a escola, as empresas e os políticos.”
O responsável pelo IPVC anunciou ainda que na próxima terça-feira uma delegação do instituto desloca-se a Lisboa para analisar, juntamente com o Presidente da República, Marcelo Rebelo De Sousa, a passagem da designação de instituto politécnico para universidade de ciências aplicadas, um conceito que está muito em voga na Europa.
Rui Teixeira incentivou também os alunos a apostarem em programas Erasmus (estudar noutros países) como forma de obterem mais conhecimento.
A sessão solene incluiu ainda a tomada de posse dos órgãos da Associação de Estudantes liderada por Vítor Gonçalves.
in Correio do Minho