sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Valença Avança com 3ª fase da Fortaleza

Intervenção Colocada à Discussão Pública
A Câmara Municipal de Valença lançou à discussão pública o projecto da 3ª fase da Requalificação Urbana do Centro Histórico (Praça-Forte), intervenção estimada em 3,5 milhões de euros.
Trata-se da intervenção correspondente à última parte da requalificação urbana do Centro Histórico que abrangerá a área compreendida entre o final da Zona 2 (intervenção em fase final de execução) Largo de São Teotónio / Largo Dr. José Maria Rodrigues e a Pousada / Portas da Gaviarra.
O projecto de intervenção, para esta fase, tem por base os conceitos já adoptados nas intervenções anteriores na área da Coroada e na Zona 2, na parte mais antiga da Praça-Forte, desde as Portas do Meio até ao Largo de São Teotónio / Largo Dr. José Maria Rodrigues.
Para o Presidente, Dr. José Luís Serra, com esta terceira intervenção, fecha-se um ciclo que remodela completamente a Fortaleza no que toca às suas infra-estruturas e modo de funcionamento tanto para peões como para veículos. Para o autarca as intervenções no Centro Histórico de Valença proporcionam funcionalidade e modernidade nas suas infra-estruturas e são atractivo potenciador da dinamização da sua actividade comercial, turistica e cultural e tendo por objectivo a atracção de novos residentes.
A intervenção redefine os espaços públicos com novos pavimentos, unifica a coesão da malha urbana e cria percursos pedonais no perímetro das muralhas. Intervenções que incluem, também, a renovação das infra-estruturas de saneamento básico, com execução de galerias técnicas nas ruas principais.
Os pavimentos serão substituídos por calçada irregular com pedras de granito, lajeado e saibro, mantendo-se contudo, em algumas zonas, o material existente em seixo, como memória histórica.
As linhas de intervenção definidas para esta fase mantem a mesma lógica da intervenção na fase 2 e na Coroada, no que toca ao desenho urbano bem como aos materiais utilizados.
Nos quinze dias em que o projecto se encontra à discussão pública os cidadãos poderão consultar o processo e dar as suas opiniões nos Serviços Técnicos da Câmara Municipal.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

“As Gerações Valencianas” de Pereira de Castro

Nova Publicação sobre a História de Valença
O conhecimento da história de Valença vai ficar enriquecido com o lançamento do primeiro volume da obra “As Gerações Valencianas” de Alberto Pereira de Castro, no próximo dia 15 de Dezembro, na Biblioteca Municipal, a partir das 15h. A apresentação da obra estará a cargo da directora do Arquivo Distrital de Viana do Castelo, Drª Olinda Alves Pereira.
Esta obra constará de 2 volumes dos quais é publicado agora o primeiro, com cerca de 900 páginas.
Trata-se de um trabalho de pesquisa, segundo ao autor, de 20 anos em vários arquivos sobre uma centena de famílias de Valença das quais 40 aparecem retratadas nesta primeira edição.
Séculos de gerações de valencianos, que passaram pelos mais representativos cargos da administração municipal, militar e da Colegiada, aparecem retratados nesta obra bem como as suas várias ramificações. Da velha nobreza, desde o século XIV, à nova burguesia do século XIX, até aos descendentes actuais, em muitas famílias, está lá o retrato genealógico e social de muitas gerações. Informações preciosas para um mais aprofundado conhecimento da vida e vivências valencianas ao longo de mais de 700 anos.
A maior partes dessas famílias (Castros, Barbosas, Antas, Bacelares e muitas outras) enraizadas em Valença e que aqui edificaram um importante património que perdura, na sua quase totalidade, são abordadas pela primeira vez, com a segurança e o rigor a que o autor de “A Praça Forte de Valença” habituou os seus muitos leitores e para tal muito contribuiu o vasto e profundo conhecimento que tem da terra valenciana.
Pereira de Castro tem já um longo curriculum de investigação histórica e de publicação de que se destacam obras como “A Praça-Forte de Valença do Minho” (3ª edição), “Valença nas Guerras da Restauração”, “A Igreja de Santo Estevão e a Fundação da Colegiada”, “Valença na Revolta dos Marechais – O Cerco à Praça-Forte em 1836”, etc.
É na linha da investigação histórica das obras já lançadas que o historiador avança com “As Gerações Valencianas”, embora, desta feita, no campo especifico da genealogia..
Trata-se de um trabalho que se pode considerar representativo de um amplo painel social em que emergem as inúmeras figuras daqueles que, no decorrer dos séculos, geriram os destinos do concelho, comandando unidades, governando a fortaleza ou rezaram as horas na Colegiada.
A edição desta obra contará com o apoio da Câmara Municipal de Valença, no âmbito da politica cultural da autarquia.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

2008 com 18 Milhões de Euros em Valença

Educação, Reabilitação Urbana e Rede de Saneamento
O Executivo de Valença deliberou propor à Assembleia Municipal a aprovação do Plano Plurianual de Investimento para 2008 com um valor de investimento total de 17.928.279. Os destaques situam-se na área da educação, da reabilitação urbana da zona nova de Valença e do alargamento da rede de saneamento.
Para o Presidente, Dr. José Luís Serra, este é um orçamento que pretende ir de encontro às necessidades estruturais para o município de forma a aproveitar o próximo Quadre de Apoio financeiro da União Europeia (Q.R.E.N.). O autarca saliente o investimento na educação que pretende fechar um ciclo de oito anos de grandes intervenções que permitirão, durante 2008, ter um parque escolar completamente remodelado e adequado aos novos desafios.
A maior fatia vai para o novo Centro Educativo de Valença, a construir na Zona Escolar e Desportiva, bem como para o novo acesso / ligação entre a avenida da Juventude e a rua 25 de Abril, que surge a par do novo edifício. Nesta área merece, ainda, referência as intervenções nas Escolas Básicas de Friestas e Passos (Cerdal), no Jardim de Infância de Bogim (Cerdal) e no refeitório da Escola Básica e Jardim de Infância de Arão.
No apoio à terceira idade e à infância destacam-se a participação da Câmara na execução da nova Creche de Cerdal e do Centro de Dia de Valença. Referência, ainda, para a intenção da autarquia apoiar a Cruz Vermelha Portuguesa na criação de um Lar da Terceira Idade, cuja candidatura já foi aprovada pelo programa PARES e implicará um investimento de 2.5 milhões de euros, bem como todas as diligências para reactivar a Unidade de Convalescênça do Centro de Saúde e a implementação da uma Unidade de Cuidados Continuados.
No tocante aos equipamentos destacam-se as intervenções nos Paços do Concelho, com a remodelação completa de todo o interior, a intervenção no Paiol do Campo de Marte e a sua transformação em posto de turismo, bem como a readaptação da antiga Cadeia/“Domus Municipalis” em polo central da rede de espaços museológicos da Fortaleza que implicará, ainda, a transformação de 5 casamatas (armazéns militares) em espaços de memória militar.
Um orçamento que reserva uma verba importante, ainda, para a conclusão da requalificação da Praça-Forte- 2ª fase, bem como para o edifício Multiusos da Coroada (Fortaleza) e para o avanço da 3ª fase das obras da Fortaleza que fechará as intervenções no Centro Histórico. Uma aposta que, a par da intervenção na frente ribeirinha do rio Minho, pretende ser factor potenciador e captador de novos investimentos na àrea do turismo.
O próximo ano marcará, também, o arranque da Plataforma Logística de Valença, um dos maiores investimentos de sempre na região que tem envolvido a autarquia em múltiplas e constantes diligências junto dos diversos órgãos da tutela. Ano que marcará, ainda, a consolidação de vários investimentos no Parque Empresarial de Valença.
Todo um conjunto de investimentos, transversais às mais diversas áreas de acção, que pretendem ir de encontro à máxima estratégia municipal de criar as condições propicias ao aumento do número de habitantes, contrariando a tendência nas zonas de fronteira, face ao poder de atractividade de cidades como Vigo, Porto ou Braga. Uma estratégia confirmada pelos recentes dados do I.N.E. - Instituto Nacional de Estatística, que apontam, nos últimos anos, para um aumento gradual e significativo da população residente em Valença.
O rigor e o equilíbrio financeiro das contas públicas municipais continuam a ser preocupações espelhadas no documento. O equilíbrio das contas tem permitido que, desde 2001, serviços como a água, o saneamento e as taxas de construção de habitações unifamiliares não tenham sofrido aumentos. Medidas acompanhadas, ainda, em 2007 com a descida do I.M.I. - Imposto Municipal sobre Imóveis.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

BPI abre Centro de Investimento em Valença

O BPI inaugura na próxima segunda-feira, dia 3 de Dezembro, um Centro de Investimento na cidade de Valença, elevando para 23 o número total de Centros desta rede especializada distribuídos por todo o país.
Os Centros de Investimento BPI são espaços de atendimento especialmente dirigidos a Clientes particulares de elevado património e encontram-se já presentes nas principais cidades portuguesas: Lisboa (Av. Roma, Baixa, M. Pombal e Saldanha), Porto (Boavista e Sá da Bandeira), Guimarães, Braga, Maia, Matosinhos, Gaia, Aveiro, Coimbra, Viseu, Leiria, Santarém, Setúbal, Évora, Beja, Faro, Ponta Delgada e Funchal.
Esta rede oferece um Serviço de Assessoria Financeira Personalizada, através de equipas qualificadas de Assessores Financeiros que, tendo em conta as necessidades do Cliente, prestam apoio personalizado em todas as vertentes da vida financeira dos seus Clientes. O serviço inclui o acesso a toda a oferta de produtos BPI e abrange não só o apoio na gestão da carteira de investimentos, mas também a identificação das melhores soluções de crédito, além de todos os serviços bancários tradicionais.
Dispondo de instalações que proporcionam um atendimento em ambiente de grande privacidade, com a maior discrição e conforto, o novo Centro de Investimento fica localizado na Av. Miguel Dantas, e terá como responsável Augusto Lindo.

BPI

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Exposição “Ultreia, o Caminho de Santiago” em Valença


A Biblioteca Municipal de Valença recebe a mostra fotográfica “Ultreia, o Caminho de Santiago” de 1 a 15 de Dezembro. A iniciativa é da Dirección Xeral do Património Cultural da Junta da Galiza.
Trata-se de uma colecção de cerca de 30 fotografias que nos remetem para vários pontos do traçado do Caminho Português para Santiago desde Barcelos até Santiago de Compostela.
O conjunto das fotografias mostra as várias dimensões do caminho na sua natureza humana, patrimonial, fantástica e religiosa. Fotografias a preto e branco mostram o caminho, a duas cores, em dimensões e perspectivas que, muitas vezes, escapam as olhares dos peregrinos. Esta exposição sai enriquecida com a presença de Valença que estará representada com duas fotos, uma alusiva à pedra “este é o caminho de ponte” e outra ao cruzeiro com o bastão, ambas na freguesia de Fontoura.
A mostra é itinerante e está a percorrer os vários concelhos galegos e portugueses abrangidos pelo projecto Translatio II – Herança Cultural do Caminho Português.
O acesso à exposição é livre e pode ser visitada das 10h às 12h30 e das 14h às 18h30 de segunda a sábado.
O principal objectivo do projeto Traslatio, uma iniciativa enquadrado no INTERREG IIIA, é promover o caminho português como um itinerário cultural europeu da euroregião, recuperando e revitalizando em rede diversos elementos do património histórico, arquitectónico, etnográfico e cultural deste Caminho para Santiago, assim como reforçar e valorizar a sua identidade, promovendo-a conjuntamente.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Vale do Minho prepara Plano de Intervenção para o Rio Minho

A Comunidade Intermunicipal do Vale do Minho pretende desenvolver um Plano de Intervenção que defina uma estratégia integrada e operativa para o desenvolvimento do Vale do Minho, materializada em três eixos fundamentais: preservação, valorização e promoção do rio Minho.
O Plano de Intervenção deverá consubstanciar uma estratégia supra-municipal e transfronteiriça que reflicta um desenvolvimento territorial de futuro para o Vale do Minho, assente naqueles eixos e, ao mesmo tempo, indutora da valorização do potencial humano e da competitividade do território. Para tal será identificado um conjunto de projectos/acções que visem a requalificação do rio Minho e seus afluentes e que, sendo concordantes com as orientações estratégicas sectoriais e territoriais definidas para a região Norte, induzam o desenvolvimento social e económico do Vale do Minho respeitando e potenciando os valores ambientais presentes, numa estratégia de desenvolvimento sustentável, no quadro da política nacional e regional subjacentes ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) e seus programas operacionais. Recentemente foi celebrado um contrato com a Parque Expo, SA para colaborar na implementação deste “Plano de Intervenção para o Vale do Minho”, tendo como eixo central o Rio. Logo, torna-se crucial um maior conhecimento, monitorização deste elemento, a identificação dos seus recursos naturais e patrimoniais, das suas potencialidades exploradas e ainda a explorar, os pontos fracos e ameaças, assim como as oportunidades, em termos de valorização ambiental e aproveitamento económico e patrimonial, enquanto mais valia para o desenvolvimento da região.

Novo Centro Escolar de Valença


Edificio para a Escola Básica e Jardim de Infância
A Câmara Municipal de Valença aprovou, hoje, 28 de Novembro, em reunião do Executivo, o lançamento de um concurso público para a construção do novo Centro Escolar de Valença, com um valor base de execução de Dois Milhões e Meio de Euros. Na Zona Escolar e Desportiva vai nascer o novo edificio para a Escola Básica do 1º ciclo e Jardim de Infância.
A construção da nova escola implicará a demolição do edificio onde funciona actualmente o Jardim de Infância. Com esta demolição ganha-se espaço para o novo edificio e para a abertura de uma nova rua entre a avenida da Juventude e a rua 25 de Abril.
O novo edificio permitirá a criação, para o Jardim de Infância, de seis salas e para o primeiro ciclo de dez salas. Uma nova cantina, mais adequada ao número de alunos, nascerá também no novo edificio.
Este novo espaço escolar contará, no seu interior, com biblioteca, sala de informática, sala de música, àreas administrativas e um salão polivalente para o desenvolvimento das mais diversas actividades desportivas e recreativas.
De forma a completar a oferta deste espaço foi concluido, estes dias, o novo campo de futebol de sete, de piso sintético, que durante o dia será um espaço privilegiado para o desenvolvimento do desporto escolar.
Com o novo edificio escolar nascerá, também, uma nova rua entre o Centro Escolar e a Piscina Municipal que permitirá um melhor fluxo do trânsito na Zona Escolar e Desportiva com a abertura de um canal de circulação entre a avenida da Juventude e a rua 25 de Abril, com seguimento para a rua Domingos Aguiar.

Esta obra implicou um investimento de 2 milhões e 200 mil euros e foi financiada em 70% pelo programa ON2.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Israeli Krav Maga


Morreu o Valenciano Jorge Pauleta

Árbitro Internacional de Hóquei em Patins

Após doença prolongada morreu Jorge Pauleta na sua residência na freguesia valenciana de Cerdal। Arbitro internacional de hóquei em patins e figura de grande destaca, não só como impulsionador do hóquei na região, mas como referência por toda a Europa e em vários países africanos onde se notabilizou como jogador, treinador, arbitro e dirigente associativo।
Jorge Pauleta de Matos, nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, em 1948, tendo vivido posteriormente na África do Sul. Neste país foi jogador (guarda-redes), treinador, mas também dirigente federativo e presidente do Comité Nacional de Árbitros.
Jogou no Clube Ferroviário de Moçambique, na Associação Académica de Moçambique, no Futebol Clube de Luanda e na Associação da Colónia Portuguesa de Joanesburgo. Já como veterano, disputou alguns jogos na baliza do Hong Hockey, da Dinamarca, clube que também treinou (2000);
Internacional por Portugal, tendo conquistado um Campeonato da Europa (Lisboa, 1971) e duas edições dos Jogos Luso-Brasileiros. Nos anos setenta e oitenta também representou as selecções de Lourenço Marques, Moçambique, Angola e Transvaal (África do Sul);
A sua carreira de treinador começara já na década de oitenta, quando dirigiu várias equipas na África do Sul. Treinou depois a Juventude de Viana (Portugal), Punteareas (Espanha), a selecção masculina do Egipto e da Suécia (1998), o já citado Hong Hockey, da Dinamarca, além de outras equipas.
Foi árbitro internacional de categoria “A”, tendo participado e dirigido vários cursos de árbitros na África do Sul, Egipto, Suécia, Inglaterra, Escócia, Portugal, Dinamarca, entre outros países.
Num passado muito recente, fez parte da direcção da Associação Nacional de Árbitros de Hóquei em Patins (ANAHP), sendo unanimemente considerado por actuais e antigos árbitros, uma grande referência de sempre, no desporto nacional, nomeadamente no que ao Hóquei em Patins diz respeito.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

O Comboio do século XIX

Valença O Comboio do século
XIX


O Espaço Museológico de Valença, instalado na antiga cocheira de locomotivas da estação de caminho de ferro, tem patente peças que ilustram o que foi o Comboio do século XIX.
O Centro de Preservação da Memória Ferroviária de Valença, mais conhecido como Museu Ferroviário, localizado na antiga cocheira de locomotivas da estação ferroviária, que funcionou entre 1913 e 1972, tem em exposição veículos que constituíram o Comboio no século XIX.
Inaugurado em 2001, o Museu Ferroviário, possui um acervo com mais de 60 peças, que contam um pouco da história da ferrovia em Valença e tem como objetivo a preservação de todo o patrimônio arquitetônico, documental, bibliográfico, iconográfico, fotográfico e outros bens ligados à história ferroviária do município e da região.
Uma locomotiva CP 23, de 1875, um Salão Sf n.º1 construído em 1888 em França e destinado a cinco passageiros, um Salão Sf 5004, construído em 1885, com capacidade para nove lugares sentados, uma carruagem de 1888, um furgão de 1891, um quadriciclo a pedal e ainda uma carruagem de 1ª Classe, construída em 1886, são algumas das peças deste museu.
O museu está aberto de terça e sexta-feira, das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. Para visitas de estudo, deve contactar-se com o Serviço Educativo FMNF, telefone, 249 130 255, ou mail, (exrpereira@refer.pt).


guiadacidade.com - impresso 26.11.2007

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Trilho Pedestre da “Ínsua do Crasto” em Valença

A Ínsua do Crasto, a Foz do Rio Manco, as Pesqueiras do rio Minho ...

A Câmara Municipal de Valença abre ao público o trilho pedestre “Ínsua do Crasto”, com a distância de 11,95 Km's, no próximo sábado, 24 de Novembro, no âmbito da Rede Municipal de Trilhos Pedestres.
O ponto de encontro está marcado para a igreja paroquial de Friestas, às 9h30 e o inicio da caminhada para as 10h sendo o tempo estimado do percurso de 4 horas.
Este trilho é um percurso complementar à Ecopista do Rio Minho pretendendo proporcionar contactos privilegiados com pontos de grande interesse paisagístico e patrimonial existentes nas suas proximidades.
O primeiro ponto de destaque patrimonial vai para o Portão dos Crastos: uma fachada imponente no local onde a ecopista e este trilho se encostam à EN Valença / Monção.
A emblemática Ínsua do Crasto, uma língua de terra no rio Minho, já nos limites com Monção e a Foz do Rio Manco, são dois dos pontos mais marcantes do percurso onde o trilho é de interpretação da natureza. Trata-se de uma zona onde a fauna e a flora são abundantes e muito diversificadas, sendo comum observar corvos marinhos, várias especies de gaivotas, tordos e estorninhos, gralhas, pegas-rabudas, pisco-de-peito ruivo e os papa amoras. Com um pouco de sorte será até possível ver alguma lontra ou vison, comuns neste autêntico refugio da natureza, nas margens do rio Minho.
Por todo o percurso a flora é abundante e diversificada uma vez que a maior parte do trilho se inscreve num local de terras fertilizadas pelo rio Minho durante milénios. A angélica, o dente-de-leão, a camomila, a fumaria, a eupatória, a salgueirinha, a branca-ursina, a cenoura brava e algumas dezenas mais de plantas fornecem medicina e perfumam as margens dos caminhos e carreiros sinuosos entre campos e matas.
Pelas margens ribeirinhas do rio Minho o percurso segue para sul, até ao emblemático cruzeiro e cemitério medieval de Verdoejo, percorrendo itinerários agrícolas, trilhos de pescadores e velhas pesqueiras, outrora percorridos por contrabandistas.
Trata-se de um percurso de pequena rota de características paisagístico-ecológico, com um grau de dificuldade fácil e tendo por cota máxima os 68 metros na Igreja de Friestas.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Ponte de Valença na PONTE...NAS PONTES!

Cadeia Humana na Antiga Ponte Internacional de Valença

AAsociación Cultural e Pedagóxica Ponte...nas Ondas!, promotora da Candidatura do Património Imaterial Galego-Português á UNESCO, vai promover uma cadeia humana no próximo dia 23 de Novembro, sexta-feira, a partir das 11h (hora portuguesa), na antiga Ponte Internacional Valença / Tui e em mais 3 pontes internacionais sob o rio Minho. Aacção tem por objectivo sensibilizar os governos português e espanhol para a reapresentação da Candidatura a Património da Humanidade das Tradições Orais Galaico-Portuguesas e contará com a participação de mais de 2 mil alunos de escolas galegas e minhotas.
A UNESCO abriu recentemente o prazo para a apresentação de propostas, por parte dos Estados, a candidaturas de património imaterial para serem inscritas na Lista Indicativa a tornar pública no ano 2009. O objectivo da acção, do próximo dia 23 de Novembro, é precisamente incentivar os governos português e espanhol a inscrever, na nova Lista Indicativa do Património Imaterial da Humanidade, esta candidatura.
Durante a cadeia humana será encenada uma coreografia tendo por base o tema central dos Meninos Cantores “Máis Perto”, cujo videoclip foi gravado, por mais de 500 jovens, na ponte de Tui-Valença, em 2005 e que foi preponderante na apresentação da candidatura. No final do acto, em cada ponte, serão lançados balões por todos os participantes na cadeia humana. Para além destas acções nos centros educativos minhotos e galegos decorrerão diversas actividade alusivas às tradições orais minhoto-galaicas.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Trilho Pedestre da Insua do Crasto


Andante "Às avessas" em Valença

A Biblioteca Municipal de Valença recebe o espectáculo teatral “Às Avessas”, pelo Grupo Andante, na próxima quarta-feira, 21 de Novembro, a partir das 10h30.
“As Avessas” é um espectáculo de 50 minutos destinado ao público em geral, mas, com um apelo especial para os alunos do 1º ciclo. A interpretação estará a cargo da actriz Cristina Paiva, personagem principal e, ainda, de Lia Vohlgemuth e Joaquim Coelho.
A peça desenvolve-se à volta da pergunta “O que se pode fazer com os livros?” e segue as respostas do aprender, crescer, brincar, virar o mundo do avesso, ou seja, olhar o mundo de outra maneira.
De uma forma lúdica, este espectáculo de teatro, tenta revelar o prazer que os livros podem proporcionar e como eles nos podem ensinar a ver as coisas sob outra perspectiva.
A poesia, a forma escolhida pela personagem do espectáculo, guia esta viagem onde se encontrarão a natureza, o tempo, as letras, a noite, a banda desenhada, tudo dentro de uma biblioteca.
A Andante é uma companhia de teatro que tem como objectivo principal a promoção da leitura, a sedução de leitores, transformando livros de poesia, romances, contos, em espectáculos de teatro.
A Andante integra o programa de itinerâncias culturais da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas no âmbito dos objectivos do Plano Nacional de Leitura

Albergue de “São Teotónio” de Valença

Entre os Caminhos de Santiago e Fátima

O Albergue de “São Teotónio”, em Valença, é um ponto de paragem obrigatório para quem faz o Caminho Português para Santiago, mas, também, cada vez mais, quem começa a percorrer os Caminhos de Fátima. Desde 2005, data da sua entrada em funcionamento, já recebeu 5106 peregrinos a caminho de Santiago e 307 que peregrinavam até Fátima.
Das vinte e sete nacionalidades dos peregrinos que pernoitaram no Albergue “São Teotónio” destaca-se a presença dos portugueses, o maior número, seguido dos espanhois, alemães, italianos, islandeses, coreanos, franceses e brasileiros.
O grande volume de peregrinos, numa percentagem próxima aos 72%, faz o caminho a pé, 28% usam a bicicleta e ainda há um pequeno valor referente alguns peregrinos que fizeram o percurso a cavalo.
Dos dados recolhidos no albergue valenciano nota-se, ainda, que é nos meses de Março a Maio e fins de Junho a Setembro, os períodos do ano com maior procura, registando-se os picos de procura nos meses de Abril e Agosto.
Para o Presidente da Câmara de Valença, Dr. José Luís Serra, os números de peregrinos que demandaram esta estrutura, desde a sua entrada em funcionamento, mostram o sucesso e a necessidade deste espaço de acolhimento. O autarca recorda, ainda, que a autarquia valenciana continua a apostar nos Caminhos de Santiago tendo procedido, nesta Primavera, à limpeza integral de todo o traçado no território do concelho bem como à instalação de um posto de internet pública no Albergue, para usos dos peregrinos.
Registe-se que o Albergue “São Teotónio”, actualmente, para além do apoio que presta a quem faz o Caminho Português, dá também acolhimento a quem faz o caminho inverso em direcção ao Santuário de Fátima.
O Albergue é propriedade da Câmara Municipal de Valença e o acolhimento dos peregrinos está a cargo da delegação de Valença do Corpo Nacional de Escutas.
Em Valença destacam-se, na simbologia jacobeia, o Cruzeiro do Senhor dos Caminhos, o Cruzeiro do Senhor dos Aflitos e a Pedra Jacobeia do Cais.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Parque Eólico de Valença

A partir de Março do próximo ano o parque eólico conjunto de Valença/Paredes de Coura já deverá estar a produzir energia।

Com 19 torres e com uma potência superior a 40 megawats, este parque insere-se no parque eólico do Alto Minho I, a implementar até 2009, que vai produzir um total de 254 megawats।Sem apontar data certa, o presidente da Câmara de Paredes de Coura espera que até final do ano fique a funcionar.Quando começar a produzir energia o parque Eólico conjunto de Valença/Paredes de Coura vai juntar-se aos três parques já instalados nos concelhos de Caminha e Vila Nova de Cerveira que compõe o parque eólico alto minho II.No total no Vale do Minho vão ser implementados 11 parques, naquele que será o maior parque eólico da Europa.

In, Rádio Alto Minho, 16 de Novembro de 2007

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

6º Aniversário da ESCE Valença

Sessão Solene do 6º Aniversário marca início da Semana Cultural da ESCE-

A Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo [ESCE-IPVC] assinala o seu sexto aniversário, dia 12 de Novembro, com uma sessão solene que contará com a presença do Presidente do IPVC, Rui Teixeira, o Presidente da Câmara Municipal de Valença, José Luís Serra e o Presidente da Associação das Pequenas e Médias Empresas de Portugal, Joaquim Cunha, que irá efectuar uma intervenção salientando a “A importância do empreendedorismo para o desenvolvimento das PME”.
A cerimónia que se realiza, pelas 14h30m, nas instalações da ESCE, sita na Avenida Miguel Dantas, em Valença, marca também o início da “VI Semana Cultural da ESCE”, a qual se prolongará até ao dia 16 de Novembro. Durante a semana irão decorrer várias iniciativas (ver cartaz), nas quais se salientam o dia do Estudante, a 14 de Novembro, em que se registará o baptismo dos caloiros, junto às muralhas de Valença, o “Verdadeiro Jantar Académico” ou a Missa de Bênção aos Caloiros. A semana cultural será ainda marcada por diversas palestras, exibição de filmes, ou o jantar com antigos alunos daquela escola superior.
O dia 16 fecha em grande a semana cultural com aquele que é o dia dedicado à comunidade, em que, entre outras actividades, se regista a visita à ESCE dos alunos das escolas primárias do concelho valenciano que irão assistir ao filme “Donald no País da Matemática”.

Centro de Negócios acolherá ESCE

Os espaços da Quinta da Mota, imóvel situado a curta distância do centro de Valença e doado, há anos, pela Autarquia local ao Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) para aí construir a Escola de Ciências Empresariais (ESCE) deverão, dentro em pouco, dar lugar a um Centro de Negócios, estrutura esta que acolherá tanto o estabelecimento de Ensino Superior como unidades empresariais, estreitando, assim, a ligação entre escola e empresa.Projecto-pilotoAnunciada durante as comemorações do 6º aniversário da ESCE, a proposta será, segundo adiantou o presidente do IPVC, Rui Teixeira, desenvolvida em parceria com a Câmara Municipal e Associação das Pequenas e Médias Empresas, apresentando-se, segundo disse, como um projecto-piloto, a nível nacional।"Com escola e empresas a funcionar, o complexo terá uma gestão comum, constituindo uma nova forma de conciliar o ensino com o tecido social e económico da região e do país", salientou Rui Teixeira, assinalando que o projecto do futuro centro encontra-se já em execução.De acordo com a responsável por aquele estabelecimento de ensino, Florbela Correia, a opção não deixa, porém, de se apresentar como a solução encontrada para instalar a escola - que funciona em instalações provisórias, cedidas pela Santa Casa da Misericórdia de Valença, desde a sua criação - em espaços definitivos.PIDDAC em faltaPara a docente, a parceria encontrada é vista como "fundamental" para o desenvolvimento do processo e consequente criação da escola que, "apesar de há muito ter sido candidatada, continua a não ver a respectiva verba inscrita em PIDDAC (Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central)".Frequentam o estabelecimento de ensino, a funcionar no edifício do antigo Colégio Português, perto de duas centenas de alunos, distribuídos pelos cursos de Informática de Gestão e de Distribuição e Logística (formação esta que é anterior à decisão da tutela de localizar, na fronteiriça vila, uma plataforma logística, infra-estrutra cuja construção deverá arrancar no próximo ano).


Luís Oliveira
In, Jornal de Notícias, 2007/11/14

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Projecto de Souto Moura sem terreno que o suporte

A construção de um edifício projectado pelo arquitecto portuense Eduardo Souto Moura para o interior da Fortaleza de Valença está suspensa por falta de viabilidade da concretização do projecto. Souto Moura desenhou o futuro Centro de Interpretação das Fortalezas de fronteira no Norte de Portugal e Galiza, mas, no momento de a obra passar do papel para o terreno, verificou-se que o solo do local na chamada zona da Coroada, onde o imóvel seria edificado, não oferece estabilidade para o acolher। A Câmara viu-se obrigada a gastar mais 85 mil euros na reformulação de um projecto que inicialmente custaria cerca de 268 mil euros."Ninguém imaginou, nem o projectista, nem o empreiteiro, nem os serviços técnicos da Câmara, que o solo mesmo a alguma profundidade não tinha consistência suficiente para segurar o edifício", declarou ao JN o autarca José Luís Serra, revelando que, entretanto, "foi feito um projecto de alteração nessa vertente e já foi aberto novo concurso, porque o valor não permitia dar continuidade dentro das mesma empreitada".Micro-estacas"Durante este mês de Novembro estaremos em condições de fazer a adjudicação para esses trabalhos específicos de engenharia e que mais não são do que utilizar micro-estacas a uma maior profundidade para resolver o problema identificado ao longo da empreitada", acrescentou.A construção do edifício do Centro de Interpretação das Fortalezas de fronteira no Norte de Portugal e Galiza ainda terá sido iniciada, mas acabou por ser suspensa pelo próprio empreiteiro, com a autorização da Câmara, logo que se verificou que o terreno escolhido para a obra não seria compatível com o projecto gizado por Souto Moura.As fundações tal qual estavam pensadas não garantiriam a estabilidade do futuro imóvel, a construir numa zona de "aterro" como confirmou o autarca de Valença, pelo que a Câmara se viu obrigada a encomendar ao arquitecto portuense uma nova solução técnica para o problema que tenha em conta "a qualidade do terreno".O valor da reformulação onera o projecto para um investimento superior a 350 mil euros. Segundo José Luís Serra, actualmente, estarão reunidas praticamente todas as condições para que o trabalhos, entretanto suspensos, sejam reiniciados "até ao final do ano".O JN contactou ontem com o gabinete de arquitectura de Souto Moura, mas foi informado de que o arquitecto se encontrava "ausente", pelo que não foi possível conhecer a sua posição sobre este assunto.Lembre-se que Eduardo Souto Moura é também o autor do projecto de requalificação global da Fortaleza de Valença, em curso há cerca de três anos e cujo principal objectivo é restruturar grande parte das construções subterrâneas e, em simultâneo, alterar o aspecto exterior da zona amuralhada (ver caixa).Obras na FortalezaO autarca José Luís Serra aponta "2010" como o ano de conclusão da obra de requalificação da Fortaleza, tendo em conta que a segunda fase está prestes a ficar totalmente executada e que a terceira se iniciará em 2008. Esta intervenção de grande envergadura surgiu da necessidade de salvar da ruína a antiga Praça Forte de arquitectura militar, que está classificada como Monumento Nacional e tem também subjacente a pretensão de candidatar o município de Valença, conjuntamente com o seu vizinho de Tui (Espanha) a Património da Humanidade. Até agora foram investidos cerca de cinco milhões de euros nas primeiras duas fases da intervenção, mas falta ainda uma terceira e última que absorverá mais quatro milhões. A obra compreende um parque de estacionamento subterrâneo.

Ana Peixoto Fernandes
In Jornal de Notícias de 2007/11/13

Torneio Internacional de Judo

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

XII Encontro Nacional de Tocadores

XII Encontro Nacional de Tocadores
de Concertina e Cantadores ao Desafio em Valença
Valença recebe o XII Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio no fim de semana de 16 a 18 de Novembro, na Praça Forte. A iniciativa é da INATEL e da Câmara Municipal de Valença.

As concertinas e os cantares ao desafio são o motivo para três dias de festa em Valença não só em palco na Praça D'Armas, mas também com muitas rusgas pelas principais ruas e praças da zona histórica. Para cima de 450 é o número estimado de participantes oriundos de toda a Peninsula Ibérica.
As inscrições individuais ou de grupos estão abertas nos serviços culturais da Câmara Municipal de Valença e na delegação regional da INATEL de Viana do Castelo.
O programa desenvolve-se entre 16 e 17 de Dezembro tendo por palco a Praça-Forte de Valença.
Para o dia 16 de Novembro está marcado um jantar tipico, ao toque da concertina, numa unidade hoteleira da região, com a presença dos participantes no encontro, numa iniciativa da Confraria da Concertina.
No sábado 17 de Novembro as ruas da Praça-Forte de Valença serão o palco de rusgas de concertinas a cargo das escolas de concertina participantes no encontro. Também, no sábado, à noite, a partir das 22h decorrerá o X Serão de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio com destaque para a apresentação do espectáculo “Augusto Canário e Amigos”. Referência especial, ainda, para a homenagem ao valenciano Carlos Pedrosa eximio tocador e construtor de concertinas.
O principal dia do XII Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio será o domingo, 18 de Novembro, com a abertura do secretariado às 9h na Casa Mata das Portas da Coroada, na Fortaleza. A partir das 10h30 começam as rusgas das concertinas pelas ruas da zona histórica. O grande espectáculo está marcado para a tarde, a partir das 14h30, na Praça D'Armas da Fortaleza com actuações dos vários grupos e tocadores individuais que mostraraão as suas habilidades na arte de tocar e cantar ao desafio e nas desgarradas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Trilho Pedestre “Entre Mosteiros” em Valença

A Montanha, os Mosteiros, o Rio Minho, Terras de Espanha ...
A Câmara Municipal de Valença abre ao público o trilho pedestre “Entre Mosteiros”, com a distância de 11,92 Km's, no próximo sábado, 10 de Novembro, no âmbito da Rede Municipal de Trilhos Pedestres.
O ponto de partida será o Mosteiro Beneditino de Ganfei às 9h30, estando programada o inicio da caminhada para as 10h e o tempo estimado para o percurso é de 4h30, com chegada ao mesmo local.
O trilho Entre-Mosteiros constitui um itinerário de interligação com a ecopista permitindo a visita a dois emblemáticos mosteiros - o de Ganfei e o de Sanfins. Este percurso foi elaborado com recurso a variantes, de forma a permitir o acesso a todo o tipo de visitantes.
O primeiro ponto de interesse é claramente o Convento Beneditino de Ganfei e a sua cerca. A igreja românica, de três naves, remontará já ao século VII.
O percurso segue pela encosta norte do Monte do Faro, percorrendo os primeiros lugares da freguesia de Ganfei terra onde nasceu São Teotónio, o primeiro santo português. Já na encosta excelentes panoramas para a Praça Forte de Valença e a cidade galega de Tui.
O trilho entra nas vastas matas de pinheiros da encosta do Monte do Faro até atingir a cerca da quinta do Mosteiro de Sanfins. No local a imponente igreja românica, do século VII e as ruínas do velho mosteiro. Daqui o percurso desce para freguesia de Verdoejo passando pelas gravuras rupestres da Barreira, pelo Pelourinho do antigo Couto Monástico de Sanfins até atingir a Ecopista. Deste ponto o percurso desenvolve-se até Ganfei na Ecopista com oportunidade para apreciar os edifícios singulares das estações e apeadeiros de Verdoejo e Ganfei.
O ponto mais alto atingido o a Fonte Seca com 310 mts de altura.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Teatro “Albergue” em Valença

O grupo de teatro Comédias do Minho estreia em palco a nova peça da temporada de outono “Albergue” amanhã, 7 de Novembro, no auditório da freguesia valenciana de Verdoejo, às 21h30.
Trata-se de um espectáculo encenado por Helen Ainsworth, com coordenação artística e dramaturgia de Graeme Pulleyn.
O espectáculo tem por base o teatro medieval, as lendas e tradições do Caminho de Santiago e as comédias e tragédias da vida do campo. “Albergue” é um espectáculo burlesco e divertido, dramático e doméstico.
A cena desenrola-se num albergue que se destaca de todos os outros. Uma das figuras centrais é Gracinda a Linda, a celebre dona deste refúgio, onde peregrinos param para aliviar as suas dores. Por entre os muitos peregrinos aparecem dois fiéis e habituais fregueses, personagens que marcam, também, o desenrolar da história.
O espectáculo terá a cenografia e figurinos de Kevin Plumb, um conceituado escultor com obras e trabalhos apresentados na Expo92 – Sevilha, Expo98 – Lisboa, Expo2000 – Hannover, EuroDisney – Paris e na Warner Bros Studios – Hollywood.
A interpretação da peça estará a cargo de: Gonçalo Fonseca, Luís Filipe Silva, Mónica Tavares, Rui Mendonça e Tânia Almeida
O espectáculo depois irá arrancar a sua itinerância pelos restantes municípios do Vale do Minho: Melgaço, Paredes de Coura, Monção e terminará no município de Vila Nova de Cerveira.
No concelho de Valença, para além do espectáculo do dia 7 De Novembro em Verdoejo, estão programadas apresentações para os dias 8 e 9 De Novembro às 21h30 na Biblioteca Municipal de Valença, 10 De Novembro às 21h30 no Auditório da Sede de Junta de Cristelo Covo e dia 11 De Novembro às 16h30 na Sede de Junta de Freguesia de Gandra

Regata Internacional de Remo de Valença

A Associação de Remo de Viana do Castelo vai promover o 1º Trofeu São Martinho – Regata Internacional, em Valença, no próximo domingo, 11 de Novembro, na Pista da Senhora da Cabeça, no Rio Minho, a partir das 15h.
Trata-se de uma prova de remo inédita em Portugal onde, pela primeira vez, serão disputadas series de 1000 metros, com as embarcações sempre em competição. A regata será seguramente um espectáculo desportivo singular que se disputará em aproximadamente 1h30 de prova, numa área do rio Minho sempre visível à assistência a partir da área pedonal da Marginal da Senhora da Cabeça.
As provas serão disputadas nas categorias de 8 + Absolutos masculinos e de 4 + Absolutos femininos e contará com a presença de mais de 150 atletas representativos de 14 clubes portugueses e espanhois.
A iniciativa conta, ainda, na organização, com a Sociedade Recreativa Segadanense e o apoio da Câmara Municipal de Valença e da Junta de Freguesia de Cristelo Côvo.
O rio Minho na sua passagem por Valença, nomeadamente, na zona da Senhora da Cabeça, em Segadães, proporciona uma das melhores pistas da Europa para a prática do remo, da canoagem e de outros desportos náuticos, com um excelente espelho de água.
A Câmara Municipal está vivamente empenhada na revitalização dos desportos náuticos no concelho, nomeadamente do remo, neste troço do rio Minho, não só através do apoio à organização de várias provas ao longo do ano, mas, também e, sobretudo, no apoio à revitalização da modalidade na Sociedade Recreativa Segadanense.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Vigo y su área abarrotan Valença

La feria de Los Santos en Cerdal (Valença do Minho) provoca grandes retenciones de tráfico y atrae a miles de ciudadanos de las dos orillas miñotas
Un año más la feria de Los Santos, en la parroquia de Cerdal, de Valença do Minho, no defraudó.
Miles de ciudadanos de Vigo y su área metropolitana se dieron cita desde primera hora de la mañana y aguantaron estoicamente las retenciones de tráfico desde la A-3 para lograr su objetivo: comprar a precios de saldo y engrosar los ahorrillos.
Algunos, como Inés y José Luis, de Moaña, son fieles a esta celebración desde hace quince años. Lo más barato que consiguieron fueron dos camisetas por cinco euros. Lo más caro, unas botas por veinticinco. Este año han advertido los precios más bajos y se van con las bolsas llenas de ropa y calzado. Como veteranos que son advierten del cuidado que hay que tener con los carteristas. «A las diez de la mañana ya le quitaron la cartera a una señora», explica Inés.
La zona de restaurantes o tasquinhas es una de las más concurridas. Allí se encuentran Irene y Arminda, de Ponteareas comiendo, como no podía ser menos, bacalao y pollo con la familia. En las bolsas, zapatos y algún chándal. El grueso lo dejarán para la tarde para no cargar con las bolsas.
Lo más pobre de la feria les ha parecido la zona de animales, el resto, bien, como hace tres años.
La mayoría de los vecinos del área de Vigo que acuden a esta feria lo hacen por pasar un día de asueto y, de paso, comprar algunas cosas para la casa, ropa o calzado.
Entre los más de quinientos puestos que se instalan en Cerdal se ofrecen productos de todo tipo. Cuadros que reproducen la última cena, las típicas toallas, prendas de piel, manteles, sábanas, discos, cinturones y bolsos.
Las toallas y ropa de cama, que tiempos atrás demandaban la mayoría de los visitantes, se han visto desplazadas por el calzado y los complementos.
Otros, como los puestos de castañas, despachaban los 20 kilos habituales, mientras que los de bacalao experimentaban un descenso, pese a ser le plato nacional।

María Jesús Fuente
1/11/2007
LA VOZ DE GALICIA

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Feira Anual dos Santos de Cerdal

A Última Feira Romaria Galaico-Minhota

A freguesia valenciana de Cerdal promove a tradicional Feira dos Santos nos próximos dias 1, 2 e 3 de Novembro; a última grande feira/romaria do calendário anual galaico-minhoto e a mais importante entre o norte de Portugal e a Galiza.
Os visitantes, aos milhares, desfrutam de um amplo espaço e de uma vasta oferta de produtos proporcionada por mais de 500 expositores distribuídos pelos diversos sectores. A feira decorre no Terreiro de São Bento da Lagoa, num espaço devidamente infra-estruturado para o efeito, junto à estrada nacional São Pedro da Torre/Paredes de Coura, a 5 minutos do acesso à A3. O 1 de Novembro é o principal dia deste acontecimento e é conhecido como o Dia da Feira dos Santos e o dia 2 tradicionalmente instituído como o Dia da Feira das Trocas.
Feira de Gado e Corridas de Cavalos
Os cavalos garranos, endógenos da região, são um dos principais atractivos desta feira com as castiças e singulares licitações e mostra dos animais, por parte dos muitos criadores da região norte de Portugal e do sul da Galiza, a animarem as manhas do dia 1 de Novembro. Para além do gado cavalar este sector contará com gado bovino e caprino.
As emblemáticas corridas de cavalos decorrerão no dia 1, a partir das 13h, na Pista das Corridas. Estão programadas provas para garranos marcados, cavalos até 1,5 m e com mais de 1,5 m, em passo travado.
As Tasquinhas e as Desgarradas
Nas tascas da feira fazem-se, por tradição, as provas dos vinhos novos da região e, também, se apreciam os mais diversos petiscos, com destaque para os rojões, o caldo verde e as castanhas assadas. Nas noites, sobretudo, de 31 de Outubro para 1 de Novembro e deste para 2 de Novembro decorrem os cantares ao desafio e as desgarradas a cargo dos tocadores de concertina da região nas muitas tascas típicas montadas na feira.
A Feira das Lavradeiras
Os espaços mais próximos à Capela de São Bento acolhem as lavradeiras da região que nesta época vendem, sobretudo, os pericos dos santos (peras pequenas), as castanhas cruas ou cozidas, as nozes, os diospiros e muitos outros produtos do campo.
Feira Secular
A Feira dos Santos é uma feira / romaria secular e um verdadeiro ponto de encontro galaico-minhoto que cativa, ano após ano, milhares de visitantes. A feira já aparece documentada em 1758 e é um ponto de confluência de povos e onde, por excelência, se sente a alma galaico-minhota. Nas Memórias Paroquiais de 1758 esta feira surge já documentada “Nesta freguesia se faz uma feira dentro do distrito dela a doze de cada mês e em dia de Todos os Santos de cada ano e esta é de bestas (gado) e somente dura naquele dia e não é franca que paga os direitos a Sua Majestade”.
O Presidente da Região de Turismo do Alto Minho, Dr. Francisco Sampaio, escreveu o seguinte a proposito desta feira: “É Feira à moda antiga e sendo a última grande Feira do ano no Alto Minho, arrasta no seu imaginário aquele ar de Festa e Arraial onde se diz missa, se cumprem ex-votos e promessas, e se acotovela o povoléu das redondezas. De Viana e de Ponte, de Monção e de Melgaço, de Coura e dos Arcos, dos Ayuntamientos da Raia Galega, tudo se achega numa alegria difusa e constante entre barracas e esparavéus, do plástico e dos factos à medida, das marcas e cassetes piratas, quinquilharias e ferragens, chitas e fazendas, loiças de Barcelos, móveis de Paredes, ourives de Gondomar, garranos dos montados do Corno do Bico e piscas das lavradas de Ganfei.”.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Trilho Pedestre do Faro em Valença

A Câmara Municipal de Valença vai abrir ao público o trilho pedestre do Monte do Faro, com 8 Km, no próximo sábado, 27 de Outubro, durante a manhã. Um percurso que privilegia o contacto com a montanha, sempre acompanhado de excelentes vistas para o Vale do Minho e o sul da Galiza.
O ponto de encontro está marcado, para as 9h30, na capela da Senhora do Faro e o inicio da caminhada para as 10h a partir deste local. O tempo estimado do percurso é de 3h00 e a participação nesta caminhada está aberta a toda a população. Este percurso começa junto à ermida da Sr.ª do Faro. Trata-se de um curto itinerário com um grau de dificuldade fácil, que atinge a cota máxima de 530 metros no topo do Monte do Faro. O trilho percorre zonas de elevado potencial paisagístico, permitindo a visita a um bosque de resinosas muito bem conservado e protegido, onde podemos constatar a presença de espécies como o esquilovermelho (Sciurus vulgaris) e a raposa (Vulpes vulpes).
Está previsto, se o tempo o permitir, sessões interpretativas da natureza em alguns pontos, nomeadamente das várias espécies de cogumelos existentes nas encostas do Monte do Faro.
Este percurso desenrrola-se nas freguesias de Gandra, Ganfei e Sanfins.

Voto de Louvor à Atleta Inês Fernandes

O Executivo Municipal de Valença aprovou, por unanimidade, um Voto de Louvor à atleta Inês Fernandes, pela brilhante prestação no Campeonato do Mundo I.N.A.S.-F.I.D., ao conquistar a medalha de prata no lançamento do peso e do martelo feminino.
A atleta valenciana sagrou-se dupla vice-campeã do mundo I.N.A.S.-F.I.D. em Atletismo, nas provas realizadas na cidade brasileira de Fortaleza entre os dias 16 e 23 de Setembro de 2007.A excelente prestação de Inês Fernandes permitiu obter, ainda, a quinta melhor marca no Lançamento do Disco, dando assim uma contribuição preciosa para o segundo lugar, por equipas, alcançado pela representação portuguesa da A.N.D.D.E.M., presente nestes campeonatos, onde competiram representações de todos os continentes.
Esta Atleta que treina desde os treze anos, actualmente com 19, tem no seu palmares os títulos de vice-campeã da Europa de Lançamento do Peso em Pista Coberta, em Março deste ano na Republica Checa completando assim uma época extraordinária com a obtenção destas duas medadas de prata. Este Ano a Inês fez com que por três vezes a Bandeira Portuguesa fosse asteada em Estádios do Mundo.
Esta atleta é um orgulho para Portugal e muito honra e prestigia Valença e os valencianos sendo um estimulo e um exemplo para a nossa comunidade, nomeadamente os mais jovens.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Plataforma logística de Valença avança em 2008

O presidente da Câmara de Valença garante que o projecto da plataforma logística, uma das 14 previstas no plano Portugal Logístico, "está muito bem encaminhado e deverá começar a ser implementado durante o próximo ano".
José Luís Serra vai reunir-se com o Gabinete para o Desenvolvimento do Sistema Logístico Nacional no início da próxima semana, e adiantou ao PÚBLICO que " já foram dados passos importantes" no que diz respeito à aquisição dos terrenos e que já "apareceram vários consórcios interessados".
Segundo o autarca socialista, houve uma alteração do conceito inicial do projecto, quer em termos de dimensão, quer em termos de localização da plataforma."Dos 70 hectares inicialmente previstos, nesta altura estaremos a falar numa área que poderá atingir entre os 200 a 250 hectares", afirmou Serra.
A nova localização da plataforma logística é agora apontada para o lado sul do nó entre a A3 (Porto-Valença) e a EN13 (Viana-Valença), num investimento que, face a estas alterações, "será muito superior aos 50 milhões de euros inicialmente anunciados".
O autarca garantiu tratar-se de "um projecto estratégico para Valença e para o Vale do Minho" e "vital na interligação das economias da euro-região do Noroeste peninsular", salientando ainda a importância da futura estrutura na captação de novos investimentos".
Considerada uma das maiores do país, esta plataforma transfronteiriça será multimodal (rodo-ferroviária), de apoio à Região Norte e ao Sul da Galiza. Segundo o autarca, este espaço terá um papel fundamental na articulação do tecido produtivo do Norte de Portugal e da Galiza.
A plataforma de Valença será articulada com as que estão previstas a nível nacional no âmbito do Portugal Logístico e terá uma ligação preferencial com as da vizinha Espanha, nomeadamente com a que está a ser criada em Salvaterra do Miño/As Neves, em frente a Monção.

In Público, 22.10.2007, Andrea Cruz

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Paços do कांसल्ह Valença

A Câmara Municipal de Valença avançou com a empreitada de reabilitação do edificio dos Paços do Municipio, com um valor de 800 mil euros e um prazo de execução de 270 dias.
A traça exterior do edificio manterá o aspecto actual não sofrendo qualquer alteração, no tocante ao interior será completamente reformulado, com a apresentação final distribuida por tres pisos. No piso superior ficará o auditório municipal, com capacidade para 85 pessoas, com espaços para serviços de apoio. O piso intermédia ficará para a Presidência, sala de reuniões, vice-presidência e gabinete de apoio. No res-do-chão serão instaladas as chefias de divisão administrativas e financeiras e outros serviços de apoio.
Para o Presidente da Câmara, Dr. José Luís Serra, pretende-se com esta intervenção dar uma nova funcionalidade e agilidade ao edificio principal da administração municipal, com condições mais adequadas aos serviços que a autarquia, hoje, presta ao municipe.
Esta intervenção enquadra-se no processo de reformulação dos serviços municipais em curso, bem como do plano de recuperação de imóveis históricos da Fortaleza que decorre já com intervenções no edificio da “Domus Municipalis” para a sua readaptação a núcleo museológico. Para breve programam-se, também, intervenções em três Casamatas e no Paiol do Açougue, para espaços museológicos e no Paiol do Campo de Marte para a sua readaptação a posto de turismo.
Enquanto decorrem as obras a Presidência e serviços de apoio funcionam no piso superior do edificio da antiga Caixa Geral de Depósitos, com acesso pela rua Mouzinho de Albuquerque. Os demais serviços, que funcionavam nos Paços do Concelho, foram transferidos para o mesmo edificio da antiga Caixa, mas com acesso pela Rua da Oliveira.
O actual edificio dos Paços do Concelho data de 1886, embora a Câmara Municipal já funcione neste local desde 19 de Janeiro de 1835, num anterior imóvel que, em tempos, foi a sede da Vigararia Geral de Valença. Antes destas datas a administração municipal de Valença passou pelo edificio da antiga “Domus Municipalis” e outros imóveis da rua Mouzinho de Albuquerque, todos no interior da Praça-Forte.

Trilho da Veiga Mira

A Câmara Municipal de Valença abriU ao público o trilho pedestre da Veiga da Mira, com 4.57 kM , em 12 de Outubro, durante a manhã। Um percurso que privilegia o contacto com as margens do rio Minho e o biótipo da Veiga da Mira.
Este percurso parte de S. Pedro da Torre, seguindo um itinerário paralelo à linha do caminho ferro. No seu trajecto atravessa uma das zonas húmidas mais importantes do Rio Minho, o biótipo da Veiga da Mira. Uma reserva de fauna e flora das mais importantes da bacia do Minho, onde os pântanos albergam extensas matas de amieiros e onde a fauna, sobretudo, as aves migratórias se destacam. No seu percurso será, ainda, possível apreciar a ponte medieval, de fundação romana, da Veiga da Mira, ponto importante da via romana Per Loca Marítima que fazia o caminho da costa de Viana até Valença. Este itinerário interliga, já na sua parte final, com o troço da marginal fluvial da Sr.ª da Cabeça, terminando junto ao Pavilhão Naútico.
O trilho atravessa as freguesias de São Pedro da Torre, Arão e Cristelo Cõvo. Trata-se de um percurso de curta distância, com um grau de dificuldade fácil. A cota máxima atingida é de 22 metros, junto à Igreja de S. Pedro da Torre.

A 28 ATÉ VALENÇA

Os estudos prévios da A-28 entre Caminha e Valença e da ligação de Paredes de Coura à A-3 são consignados na segunda-feira, numa cerimónia que será presidida pelo secretário de Estado das Obras Públicas, foi hoje divulgado.
Fontes autárquicas disseram à Lusa que a cerimónia de consignação terá lugar pelas 12:00 no Gabinete de Apoio Técnico do Vale do Minho, em Valença.
As empresas adjudicatárias terão 390 dias para dar por concluídos os estudos, que se destinam a caracterizar e avaliar várias alternativas de traçado e soluções construtivas, englobando diversas componentes técnicas, como geologia, tráfego, impacte ambiental e viabilidade económica.
Após a elaboração do estudo prévio, terá lugar a avaliação do impacte ambiental, através de uma comissão coordenada pelo Instituto do Ambiente.
O processo de avaliação culmina com uma declaração de impacte ambiental, que determina o projecto de execução.
O troço da A-28 entre Viana do Castelo e Caminha foi inaugurado em Novembro de 2005 pelo primeiro-ministro, José Sócrates, que logo na altura garantiu que a via teria continuidade até Valença, sem, no entanto, avançar quaisquer datas para o início da obra.~
Poucos dias depois, a Estradas de Portugal abriu concurso público para o estudo prévio do prolongamento daquela auto-estrada, fixando Janeiro de 2006 como prazo limite para a entrega das propostas.
A construção do troço da A-28 entre Caminha e Valença consta do Plano Rodoviário Nacional e é um objectivo plasmado no programa do actual Governo, apresentado na Assembleia da República em Março de 2005.
Em relação à ligação de Paredes de Coura à A-3, mais concretamente ao nó de Sapardos, em Vila Nova de Cerveira, o actual estudo vem substituir um outro, realizado em 1998, que acabou por não ser aprovado por causa dos «graves impactes ambientais» das soluções de traçado nele preconizadas.
De acordo com um documento do Ministério das Obras Públicas, as principais condicionantes e incompatibilidades verificadas na altura prendiam-se com «situações delicadas», como as interferências com o Sítio da Rede Natura 2000 designado como Corno do Bico, a reserva arqueológica estabelecida pela Câmara de Paredes de Coura na zona da Peneira e ainda a área de exploração de água mineral designada Água de Grichões.
Enquanto a via rápida não avança, a ligação «privilegiada» entre Paredes de Coura e Vila Nova de Cerveira continua a fazer-se pelas estradas nacionais 302 e 303, que se preparam para ser alvo de uma profunda obra de beneficiação, orçada em mais de 2,6 milhões de euros.
Diário Digital / Lusa

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

IV Encontro de Micologia Atlântica em Valença

Valença recebe o IV Encontro de Micologia Atlântica, de 11 a 14 de Outubro, numa iniciativa da Associação Micológica A Pantorra e do Grupo Micológico Galego “Luís Freire” de Vigo. A iniciativa conta com a colaboração da Câmara Municipal de Valença.
O encontro contará com a presença de uma centena de participantes oriundos de Portugal, da Galiza, Cantábria, Astúrias e País Basco.
Trata-se, segundo a organização, de uma oportunidade especial de “fazermos o estudo agro-florestal dos cogumelos e dar a conhecer as potencialidades turísticas de Valença e seu entorno, tendo por base este produto”.
O objectivo deste encontro é potenciar sinergias no âmbito do estudo micológico, promover o conhecimento científico dos cogumelos, a amizade entre os micólogos e aficionados da Micologia.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Teatro nas Escolas de Valença

“Uma bailarina na Escola”
A Companhia de Teatro “As Comédias do Minho” apresenta a peça “Uma bailarina na escola”, a par de um atelier de dança, na EB 2 e 3 de Valença, na próxima sexta-feira, 12 de Outubro, em duas sessões, uma às 10h20 e a outra às 14h30.

Trata-se de um espectáculo produzido pela companhia de teatro do Vale do Minho, com o apoio da autarquia valenciana. A concepção e direcção estão cargo de Aldara Bizarro, que procura proporcionar novas leituras para as artes, suscitando a reflexão corporal, enquanto objecto de saber e de sentir.
A figura central da história é uma bailarina que toma o lugar do professor na sala de aula e convida os alunos a assistirem a uma dança. Através da pergunta “Qual a parte do corpo que gostas mais?”, a bailarina estabelece um diálogo com os alunos: fala-lhes do corpo, fazendo a ponte entre a natureza e o pensamento. Todos juntos (alunos e bailarina) fazem a dança dos músculos. A bailarina leva-os para um lugar reservado da sala para lhes contar… um segredo. Diz-lhes de onde vem e fala-lhes do seu passado e da sua família. Com este discurso, procura remeter os alunos para o significado da herança genética e da influência da cultura no corpo. Dois a dois, os alunos são desafiados a desempenhar um conjunto de tarefas que darão origem ao Corpo da Escola. No final, os alunos podem ter uma conversa informal com a artista e colocar questões sobre o espectáculo.
Este espectáculo tem por objectivo abranger um maior número de publico jovem, levando a dança num formato que reúne aspectos inerentes ao espectáculo de dança (como o domínio do corpo, a qualidade interpretativa da bailarina, a beleza e o prazer de ver) e aspectos pertencentes ao ateliê de dança (o fazer, o pesquisar, o pensar, o sentir e o prazer de dançar).

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Trilho Pedestre da Via Romana, em Valença

A Câmara Municipal de Valença inaugura o Trilho Pedestre da Via Romana, com 14,3 Km, no próximo dia 29 de Setembro sábado, no âmbito da Rede Municipal de Trilhos Pedestres. O tempo estimado para percorrer este percurso é de 4 horas.
O percurso da “Via Romana” é parte integrante da Rede Municipal de
Percursos Pedestres de Valença, decorrente do Estudo de Levantamento, Marcação e Sinalização dos Percursos Pedestres do Município de Valença do Minho. Esta Rede pretende criar infra-estruturas de apoio ao Turismo na Natureza procurando promover o património do concelho, enquadrada numa estratégia de desenvolvimento sustentável.
Percurso pelo Património e história
O trilho começa na confluência da freguesia de Sapardos (Vila Nova de Cerveira) com a valenciana de São Julião e passa pelos lugares do Raso e da Pousada desta última freguesia. Aqui observam-se os campos verdejantes, de cultivo e pastoreio e um miliário romano. Passo-a-passo o trilho avança para a freguesia de Fontoura onde atravessa os lugares de Reguengo, Portela, Cortinhas, Casa Gonçalo, Boris, Rio Torto e Monte da Chã. No percurso entre Rio Torto e o Monte das Chãs é visível, ainda, em cerca de quinhentos metros, uma lomba e outras características de via romana. Em Fontoura destaca-se a Casa Alta, uma casa senhorial fortificada e a lendária Fonte D'Ouro. Nesta freguesia existiu um miliário romano no local denominado de Contenças. O percurso segue para a freguesia de Cerdal, onde o trilho coincide com o traçado dos Caminhos de Santiago. É nesta freguesia que se situa a Ponte Romana da Pedreira e um troço de lajeado com blocos graníticos assentes no chão, transmitindo o tempo e o desgaste do caminho. O percurso segue para a freguesia de Gandra e Arão até atingir Valença, com vistas para a Praça – Forte, em direcção ao Cais do Rio Minho. É próximo deste local que se encontra a Ponte Romana de Arinhos e o local onde foi encontrado o Marco Miliário que marcava a milha XLII e que, actualmente, está na Fortaleza.
A identificação, prospecções arqueológicas e sinalização deste traçado foi financiada pelo projecto Vias Atlânticas.
Para o Presidente da Câmara Municipal, Dr. José Luís Serra, com a transformação deste troço em trilho pedestre permite-se a divulgação e a consciencialização das pessoas para partes de um percurso da via romana, no concelho de Valença, que era completamente desconhecido.
A via romana foi durante a Idade Media uma importante via de comunicação e é a partir desta época, também, que parte do seu traçado coincide com os Caminhos de Santiago, por onde transitaram peregrinos ilustres, entre os quais alguns monarcas.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Trilhos Pedestres em Valença

Turismo de Natureza ganha força

A Câmara Municipal de Valença vai avançar com a Rede Municipal de Percursos Pedestres com a apresentação dos seis primeiros percursos, com um total de 58 Km's de trilhos pedestres no concelho.
O primeiro trilho a ser inaugurado será o da Via Romana no próximo dia 29 de Setembro, segue-se o da Veiga da Mira em 12 de Outubro, o do Monte do Faro a 27 de Outubro, o de Entre Mosteiros a 10 de Novembro, o da Insua do Crasto a 23 de Novembro e o da Ribeira Minho a 8 de Dezembro.
A rede de trilhos é uma aposta da autarquia na criação de uma nova actividade de lazer / desporto nas zonas mais rurais e de montanha do concelho, onde os valores patrimoniais edificados e de natureza proporcionam percursos cativantes.
Para o Presidente da Câmara, Dr. José Luís Serra, “os trilhos pedestres vem reforçar a oferta de actividades turísticas em Valença, dinamizar o turismo tradicional, tentando conquistar novos públicos e quebrar a sazonalidade. O autarca refere, ainda, a importância destes percursos para a oferta de actividades de prática de vida saudável para as populações de Valença e arredores”.
Dois dos seis percursos pedestres de Valença avançam em caminhos antigos com grande valor histórico cultural, onde os valores patrimoniais enriquecem os percursos, ao longo dos seus traçados, exemplos disso são o da Via Romana, que coincide, em parte do percurso, com os Caminhos de Santiago e o Entre Mosteiros que proporciona o contacto com os mosteiros de Ganfei e Sanfins. Os percursos da Veiga da Mira, Monte do Faro, Insua do Crasto e da Ribeira Minho são trilhos paisagísticos e ecológicos que proporcionam contacto ou com o Rio Minho ou as encostas do Monte do Faro.

Piscina Municipal de Valença

A Piscina Municipal de Valença reabre ao público nos primeiros dias de Outubro, após obras de manutenção e renovação nos tanques e balneários. Novas modalidades reforçam a oferta diversificada deste equipamento municipal.
Obras de Manutenção
Nos balneários procedeu-se à renovação completa dos espaços e a colocação de novos equipamentos. A Sala Médica está a ser preparada para sessões de quiromassagem, no âmbito das aulas de hidroterapia. Nos tanques os blocos de partida e chegada foram todos substituidos, estando os novos aptos para a competição.
Piscina com Mobilidade para Todos
No sentido de tornar a Piscina um equipamento acessícel para todos a Câmara Municipal tem trabalhado no sentido de esbater barreiras e criar novas condições para o acesso e prática de natação a pessoas com dificuldades motoras. De entre as intervenções destacam-se a colocação de um elevador hidráulico, dentro da piscina, para permitir a entrada directa para os tanques, a reformulação de um dos balneários e a sua adapatção à limitações dos utentes e a criação de lugares de estacionamento.
Para o Presidente da Câmara, Dr. José Luís Serra, estas intervenções de manutenção pretendem oferecer um serviço de qualidade e diversidade acrescida, ano após ano e corrigir pequenas anomalias que vão sendo detectadas.
Oferta de Modalidades Diversificada
A Piscina Municipal arranca em Outubro com natação de aprendizagem, na Escola de Natação, nado livre, hidroginástica, hidrostep, hidropower e hidrokids, na àrea de prática de desportos de manutenção da forma fisica. Na àrea da saúde o destaque vai para actividades como o hidrorelax e a hidroterapia. Durante o mês de Outubro as modalidades do hidrostep, hidrokids e hidrorelax tem frequência de demonstração livre.
Para além desta oferta o equipamento oferece, ainda, dois courts de ténis, jacuzzi e sauna.

Valença: GNR deteve alegado incendiário de 24 anos

Valença: GNR deteve alegado incendiário de 24 anosA GNR de Valença deteve domingo um indivíduo de 24 anos suspeito de ter ateado um incêndio no monte da freguesia de Sanfins, naquele concelho, disse hoje fonte daquela força policial.
Segundo a fonte, o indivíduo, natural de Verdoejo, foi apanhado «praticamente em flagrante» por elementos de uma equipa de investigação de incêndios da GNR, que o encontraram no meio do mato logo após um fogo ter deflagrado numa área florestal.
Foi conduzido ao posto da GNR, onde acabou por confessar a autoria daquele incêndio e de outros que deflagraram anteriormente naquela zona.
O alegado incendiário foi hoje presente a tribunal para primeiro interrogatório judicial, não sendo ainda conhecida a medida de coacção aplicada pelo juiz.
Diário Digital / Lusa

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Antiga Cadeia de Valença - Núcleo Museológico

Antiga Cadeia de Valença - Núcleo Museológico
Avança Empreitada de Readaptação do Edifício

A empreitada de readaptação do edifício da Antiga Cadeia de Valença, em Núcleo Museológico, avançou esta semana, com um valor de execução de 193 mil euros e um prazo de 210 dias. O edifício, localizado em plena zona histórica, na Fortaleza, já foi Moradia Régia, Domus Municipalis, Cadeia, Sala de Exposições e espera agora por novo destino como núcleo museológico e pólo central de uma rede de espaços / museus da Praça - Forte de Valença.
A intervenção proporcionará uma nova funcionalidade ao edifício com a disponibilização de uma sala / galeria de exposição, no piso inferior, instalações sanitárias no piso intermédio, gabinetes de apoio e depósito de materiais no piso superior. Um elevador interior proporcionará outra funcionalidade à circulação interna.
Pólo Central de Rede de Espaços Museológicos da Praça - Forte
O Núcleo Museológico da Antiga Cadeia pretende ser o espaço central de uma rede de espaços, na Praça-Forte, que mostrem o legado patrimonial e histórico / cultural de Valença, ao longo dos séculos, nomeadamente, no que toca à sua natureza militar.
Para o Presidente da Câmara, Dr. José Luís Serra “o Núcleo Museológico passará a ser uma referência da fortaleza valenciana e significará uma aposta no turismo cultural e na preservação da nossa memória histórica”.
Entre os principais objectivos deste núcleo museológico encontra-se a promoção e divulgação dos aspectos históricos mais decisivos e marcantes da Praça - Forte, na perspectiva da defesa das fronteiras do território nacional ao longo dos séculos. Para além da natureza militar de Valença, os aspectos mais marcantes do emblemático comércio tradicional estarão representados com espólio metrológico, bem como o espólio arqueológico encontrado nas várias escavações em curso na Fortaleza e o demais que tem sido encontrado no concelho.
De Moradia Régia a Domus Municipalis, Cadeia e Sala de Exposições
O edifício conhecido actualmente como Antiga Cadeia é um dos mais antigos e simbólicos da zona histórica de Valença, tendo surgido inicialmente como Moradia Regia, edificada em finais do século XIII, contemporânea da vizinha igreja da Colegiada de Santo Estevão datada de 1283. Nos primeiros tempos, no primeiro piso localizava-se a Sala de Armas destinada à recepção e à tomada de refeições, no segundo piso, as cinco divisões, estavam destinadas à vida privada dos monarcas que visitavam Valença, tudo com as respectivas lareiras de aquecimento.
Este imóvel foi depois sede da administração municipal, como Domus Municipalis e é muito provavelmente nesse tempo que se promovem as feiras / mercados nas suas arcadas e ruas contiguas. Teve durante o século passado a função de cadeia e nos últimos anos, no piso inferior, funcionou a Sala de Exposições Municipal.
Hoje, neste edifício, destacam-se, sobretudo, no piso térreo, os magníficos tectos abobadados e respectivos arcos indicativos da arquitectura gótica, do tempo de D. Afonso III.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Exposição “José Maria Rodrigues – 150 anos”

A Biblioteca Municipal de Valença recebe a exposição biográfica e bibliográfica “José Maria Rodrigues – 150 anos”, até ao fim do mês de Setembro. Uma mostra que pretende assinalar os 150 anos do nascimento de um dos maiores vultos da cultura valenciana e uma referência da vida cultural e académica portuguesa dos princípios do último século.
Filólogo (estudioso da língua), Camonianista (estudioso de Camões) e professor catedrático nas Universidades de Coimbra e Lisboa, deixou um trabalho editorial vastíssimo, com oitenta e cinco obras publicadas conhecidas, centenas de artigos em revistas e jornais nacionais e estrangeiros. Trabalhos, sobretudo, de investigação sobre filologia e camonologia, áreas em que se notabilizou nas letras nacionais. Em 1905, publicou "Fontes dos Lusíadas», uma das suas principais obras, um autêntico monumento de saber, ainda, hoje, uma obra de consulta obrigatória em Camonologia.
José Maria Rodrigues foi uma figura marcante das letras nacionais do último século. Um investigador e uma figura que, ainda, hoje, é reconhecido, estudado e sobre o qual se desenvolvem os mais diversos trabalhos académicos quer em universidades portuguesas e brasileiras, como de outras partes do mundo, como por exemplo Yale University.
Ostentou os títulos de doutor honoris causa em Letras pela Universidade de Coimbra, Grande Oficial da Ordem da Instrução, sócio correspondente da Academia da Língua de Madrid e da Academia Brasileira de Letras e sócio emérito da Academia Brasileira de Letras e da Academia das Ciência de Lisboa, de que foi presidente. José Maria Rodrigues foi director do Centro de Estudos Filológicos, da Universidade de Lisboa e do seu percurso assinale-se, ainda, o seu desempenho como responsável nacional pela reforma do ensino secundário de 1895 e como professor particular dos Príncipes D. Manuel II e D. Luís.
A organização da mostra esteve a cargo da Câmara Municipal de Valença.

Exposição "José Maria Rodrigues - 150 Anos"


Mostra Biográfica e Bibliográfica
Biblioteca Municipal de Valença

Filólogo (estudioso da língua) Camonianista (estudioso de Camões) e professor catedrático.
Ostentou os títulos de doutor honoris causa em Letras pela Universidade de Coimbra, Grande Oficial da Ordem da Instrução, sócio correspondente da Academia da Língua de Madrid e da Academia Brasileira de Letras e sócio emérito da Academia Brasileira de Letras e sócio emérito da Academia das Ciência de Lisboa. Foi director do Centro de Estudos Filológicos.
Membro fundador da Confraria de Nª Senhora de Mosteiró de Cerdal

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais em Valença


O Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, João Amaral Tomaz, colocou a primeira pedra da nova Creche de Cerdal, em Valença, Sábado, 8 de Setembro.

O novo equipamento social terá uma área de 500 m2 e implicará um investimento de 343.528,00 euros. A estrutura vai nascer na zona central da freguesia valenciana de Cerdal e resulta de uma parceria estabelecida recentemente entre a Câmara Municipal e o Centro Social e Paroquial de Cerdal.
A concretização da creche contará com um apoio financeiro de 148.500,00 euros da Câmara Municipal e, também, do governo através do Instituto de Segurança Social, após a aprovação de uma candidatura apresentada ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (P.A.R.E.S.). A Câmara Municipal colaborou, ainda, com a elaboração do projecto e prestara apoio técnico à fiscalização da obra
A nova estrutura constará de duas salas de actividade, refeitório, um berçário, uma sala parque, duas salas de descanso e instalações sanitários que cumprem já com as novas normas de mobilidade e apoio a deficientes. Uma sala de isolamento dará, ainda, apoio a crianças que estejam doentes e necessitem de espaço próprio. A cozinha, para além do serviço da creche, será já preparada para prestar serviço de apoio domiciliário aos idosos.
Para o Presidente da Câmara, Dr. José Luís Serra, “o concelho de Valença, ao nível das creches, está manifestamente deficitário, pelo que a construção desta estrutura em Cerdal muito contribuirá para ajudar a colmatar esta lacuna”. Para o autarca esta nova valência social apresenta-se da maior importância para dar resposta às necessidades das jovens famílias que muitas vezes não tem com quem deixar as crianças que, ainda, não atingiram a idade para frequentar os Jardins de Infância.
No concelho de Valença apenas o Centro Social e Paroquial de Cerdal mantem uma creche em funcionamento, no lugar de Passos e a Santa Casa de Misericórdia outra na sede do concelho.

Valença Apoia Formação Superior

Candidaturas para Bolsas de Estudo

A Câmara Municipal tem aberto o concurso para a atribuição de bolsas de estudo para os estudantes valencianos que frequentam o ensino superior. Os interessados deverão formular a sua candidatura, até 19 de Outubro, junto dos Serviços Municipais de Acção Social, na Casa da Cultura, na rua Mouzinho de Albuquerque.
A autarquia valenciana, com a atribuição destas bolsas, pretende contribuir para a formação de jovens quadros oriundos do concelho. A concessão das bolsas destina-se a alunos a frequentar o ensino superior que apresentem grande potencial e fracos recursos económicos.
Para o Presidente, Dr. José Luís Serra, as bolsas pretendem ser um incentivo, na forma de comparticipação nos encargos correntes dos estudos, com o objectivo de possibilitar uma oportunidade de concretização de uma carreira profissional.
Os valores das bolsas a atribuir variam conforme os rendimentos dos candidatos admitidos, podendo atingir um máximo mensal de 150 euros.
Podem concorrer, anualmente, à atribuição das bolsas de estudo, os jovens estudantes valencianos que frequentem o ensino superior e que apresentem comprovativos de necessidade de apoio para a continuação da sua formação.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Os encantos de Valença

Toda a xente da Terra de Turonio vai a Valença do Minho polo menos unha vez na vida, e hai quen o fai seguido. Para a inmensa maioranza dos galegos, Valença é apenas, no mercado de ambulantes e en comercio fixo, un inmenso azougue ou zoco no que todo pode ser comprado, antes da UE e despois da UE. Superados os tempos do Café Sical, aínda coa fronteira abolida hai quen pasa de continuo a Valença para facerse con productos téxteis e Ianifícios. Un novo visitante de Valença, de nivel social e cultural elevado, procura agora alí o cristal de Atlantis e as pezas de louza fina ou china ou porcelada de Vista Alegre, cando non a selección de viños maduros portugueses que Vigo non vende nin en grandes nin en pequenas superficies. Os espíritos cultivados de Galicia vólvense un poco entolecidos ao frecuentar a Fortaleza, convertida nun rumoroso mercado. Con todo, á noite, deixarse ir polo silecio da cidadela peneirada da memoria militar do século XVIII é un pracer de sibaritas. Algúns destes, como Quin Troncoso, pode facer a paseata a cabalo polo interior dos fosos sistema Vauban. Pro hai outras Valenças que non anuncian os cartaces municipais e que no figuran nas páxinas d´O Valenciano, ese peculiar xornal que edita o amigo Zé Maria que é propietario do restaurante do mesmo nome no que este cronista ten o gosto de probar cada ano o sable (sável, din eles) inaccesíbel na beira dereita do Miño.
Entre os encantos secretos do termo municipal de Valença do Minho está a igrexa e vestixios do convento de Sanfins (non "São Fins, ollo) de Fisterras. Este lugar e estación arqueolóxica ofrécenos unha das mostras mellores do estilo románico portugués, tan pobre e escaso de edificiacións e esculturas e pinturas (nestas, cero) de tal estilo. Cun tímpano de tema irmao da decoración da igrexa matriz de Melgaço e da de Rubiães (Paredes de Coura), o sitio merece unha visita. Pro tamén a merece o coto coroado de penedos que forman concavidades dignas dunha escenografía das Walkirias de Wagner e que é coñecido como As Furnas, freguesía de Beivão (pronunciese, á minhota, Beibón).
De As Furnas, a vista sobre o río que pastorea os ríos de Gallaecia e as montañas azuis que, no límite do perceptíbel, son a Serra de Avión, sobrecolle o ánimo do viaxeiro. Penas, pedras redondas, buracos ou furnas, fragas colosais que nos fan sentir no mundo tal como este era antes da emerxencia do Home. Ora ben, a historia existe, e non sempre para ben. Todo os cumes graníticos que rodean o Coto das Furnas de Beivão están sendo estragados por dúas, tres, dez canteiras ou pedreiras industriais que, en poucos anos, destrozaron a paisaxe a cambio duns cativos beneficios, tipo migallas varridas da toalha de mesa, para os veciños dos valdios (comunidades de montes, vexan). Ruina montium, destrucción da natureza, da Terra, da paisaxe. Convén que se saiba que as empresas graniteiras que están esfarelar a beleza do municipio de Valença do Minho son as mesmas empresas galegas que terminan cos nosos montes e que atacan xa o Galiñeiro e o Aloia en varios puntos, por falarmos só na Terra do Turonio.
por X. L. MÉNDEZ FERRÍN, in Faro de Vigo

Bienal de Arte de Cerveira em Valença

Exposição “Instalação” na Fortaleza
A Casa Mata das Portas da Coroada, na Fortaleza, recebe até 29 de Setembro a exposição “Instalação”, de Gonzalo Sellés Lenard, no âmbito da XIV Bienal Internacional de Vilanova de Cerveira.
A “Instalação” está aberta ao público de segunda a Sábado das 14h às 19h.
A exposição consiste numa instalação de quatro filas de 6 focos de halogêneo, pendurados numa estrutura formada por quatro tubos de aço em paralelo e suspensos do tecto por arames. No chão, debaixo dos focos suspensos, uma estrutura quadrada, com plástico negro e coberta de água, permite reflexos e várias leituras curiosas. Uma instalação que conta, ainda, com acetatos pendurados à volta da estrutura.
De todos os materiais utilizados destaca-se o aço, as lampadas de halogêneo e os acetatos que integrados com o espelho de água proporcionam a leitura do movimento e do seu efeito reflector, de todos quantos se aproximam.
Para Gonzalo Lenard o grande objectivo desta obra é proporcionar leituras através da pintura com jogos de luz, “criando uma forma que envolva o espectador no acto reflexivo de observar-se a si mesmo observando”. Segundo o autor da obra “o efeito visual da instalação, perante um fictício cenário de um teatro impossível, os olhos humanos sempre são atraído pela luz, luz que nos atrai e se reflecte na água e estas com as imagens impressas, que por sua disposição, convidam a um percurso já que as imagens impressas estão distribuídas ao longo da estrutura”.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Bienal de Arte de Cerveira em Valença



Exposição "Instalação" de Gonzalo Sellés Lenard

Casa Mata das Portas da Coroada - Coroada - Fortaleza

XIV Bienal Internacional de Vilanova de Cerveira
Segunda a Sábado das 14h00 às 19h00
Até 29 de Setembro de 2007

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Valença Placa Giratória de Trabalhadores Transfronteiriços

Valença foiu o palco da assinatura dos protocolos do I.E.F.P., que assume a gestão do EURES Transfronteiriço Norte de Portugal/Galiza até 2010, e nove parceiros desta rede, no valor global de 252 mil euros, referentes ao plano de actividades aprovado para 2007/08.
No acto foi destacado que "A tendência é para que se acentue o movimento de trabalhadores entre as duas regiões, tal como vem acontecendo nos últimos tempos", por Avelino Leite, delegado regional do Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), em declarações à Lusa. Segundo declarações do delegadodo IEFP/Norte, o aumento crescente da circulação de trabalhadores entre as duas regiões tem repercussões já bem visiveis na linha de fronteira, entre Portugal e Espanha, nomeadamente em Valença.
Para Avelino Leite "Há muita gente que escolheu viver em Valença porque está a trabalhar do outro lado da fronteira", o que está a merecer a atenção e estudo por parte das entidades locais e nacionais tantos portuguesas como galegas para este fenómeno.

Valença Protege as Florestas

A Câmara Municipal de Valença está a desenvolver um conjunto de iniciativas de protecção às florestas do concelho. Recuperação dos pontos de abastecimento de água aéreos e terrestres, sinalética florestal, recuperação de bocas de incêndio, abertura / limpeza de caminhos florestais e vigilância são algumas das iniciativas que se destacam na campanha deste verão.
Pontos de Abastecimento Aéreo
A Autarquia procedeu à recuperação, pintura e sinalização de 13 pontos de água aéreos para acesso a helicópteros.
Nova Sinalética Florestal
Por todo o concelho a autarquia colocou um total de 70 novos sinais de indicação / sinalização dos pontos de água terrestres e aéreos de forma a proporcionar um acesso rápido a estes pontos de abastecimento.
Bocas de Incêndio
No concelho de Valença há 402 Bocas de Incêndio georeferenciadas pelos Bombeiros e Serviços Municipais. Todas estas estruturas são objecto de vistorias e manutenção regular, contudo, a autarquia está a proceder a uma intervenção, sobretudo, nas principais, de forma a torna-las mais acessíveis e visíveis.
Abertura e Limpeza de Caminhos
A autarquia está a proceder à abertura e limpeza de caminhos florestais, sobretudo, nas zonas de maior densidade florestal. Nesta temporada já se procedeu à abertura de mais de 20 Km's, num trabalho que terá continuidade nas próximas semanas.
Voluntariado Jovem / Vigilância Florestal
A vigilância florestal a cargo de jovens voluntários decorre já desde o dia 15 de Junho e prolonga-se até 15 de Setembro, numa iniciativa que conta com a colaboração dos Bombeiros Voluntários e o Instituto Português da Juventude.

Sai Pra Rua em Valença

terça-feira, 24 de julho de 2007

Eures Transfronteiriço de Valena

O próximo dia 24 de Julho ás 10:00h, decorrerá, na Biblioteca Municipal de Valença do Minho, o acto de assinatura dos Protocolos de redistribuição, entre os organismos parceiros do EURES Transfronteiriço Norte Portugal-Galicia, do subsidio atribuído pela Comissão Europeia para a realização de actividades que favoreçam a mobilidade de trabalhadores entre a Galiza e o Norte de Portugal.
Através do Instituto do Emprego e Formação Profissional, a Comissão Europeia atribuiu aos organismos parceiros do Serviço de Emprego Transfronteiriço EUREST Norte Portugal-Galicia, um subsídio de 252.000 € para o desenvolvimento do Plano de Actividades 2007-2008.

Ao longo do período 2007-2010, o Instituto do Emprego e Formação Profissional é o organismo GESTOR do EURES Transfronteiriço Norte Portugal-Galicia, sendo o interlocutor directo desta Eurorregiao com Gabinete de Coordenação EURES da Direcção Geral de Emprego e Assuntos Sociais da Comissão Europeia. O IEFP é responsável ante a Comissão da gestão dos fundos atribuídos no acordo para a implementação das actividades que, em matéria de emprego, irão ser desenvolvidas ao longo do triénio.

O IEFP vem a relevar assim à Conselleria de Traballo da Xunta de Galicia, responsável pelo EURES Trasnfronteiriço Norte Portugal-Galicia no triénio anterior; neste sentido assume também a Presidência do Comité Directivo desta estrutura, principal órgão de decisão a quem compete definir a estratégia geral da parceria. O Presidente do Comité Directivo é o Dr. Avelino Leite, Delegado do IEFP na Região Norte.

terça-feira, 17 de julho de 2007

1ª Jornadas de Aventura de Valença

A Câmara Municipal vai promover as 1ª Jornadas de Aventura de Valença, de 19 a 20 de Julho, na Fortaleza, no rio Minho e no Parque da Senhora da Cabeça. As inscrições são gratuitas e estão abertas até 17 de Julho, na Piscina e Biblioteca Municipal, para crianças e jovens dos 6 aos 14 anos.
Para os espaços da Fonte da Vila, na Fortaleza, estão programadas as actividades ligadas às carreias de tiro, ao slide, aos jogos tradicionais, bem como será possível, ainda, utilizar uma cama elástica, bicicletas tt, praticar kin ball, speedminton e andar de moto 4 (conduzidas por monitor).
No Parque da Senhora da Cabeça e no rio Minho os insufláveis, a parede de escalada, a canoagem, a teia de cordas, a travessia em cordas paralelas, as trotinetes, os trikkes, os patins em linha e a banana de água, puxada por barco, prometem proporcionar umas férias repletas de adrenalina.
Para o Vereador do Desporto, Joaquim Covas, trata-se de uma iniciativa inovadora que pretende dinamizar as actividades desportivas de aventura, num período já de férias escolares, aproveitando os espaços da Fortaleza, do Rio Minho e do Parque da Senhora da Cabeça que tem excelentes condições para desenvolver estas modalidades desportivas.
Todas as actividades serão orientadas por monitores especializados e credenciados.

terça-feira, 3 de julho de 2007

Tony Carreira em Valença

Tony Carreira será o cabeça de cartaz da EXPOMINHO. O cantor romântico que mais vende em Portugal brinda o público minhoto com um concerto, quinta-feira, à noite, 5 de Julho, em Valença.
Um concerto que repassará os temas mais badalados da vida musical de Tony Carreira e onde estarão em destaque, também, as canções do seu último trabalho ‘A vida que eu escolhi’, lançado em Dezembro de 2006. Um concerto que estará recheado, sobretudo, com os temas inéditos deste trabalho com 14 temas, entre eles ‘O que vai ser de mim (quando fores embora)’ ou ‘Se ela perguntar por mim’, alguns dos mais recentes sucessos do cantor.
Recorde-se que este trabalho já atingiu as seis platinas e está a revelar-se mais um sucesso, tendo sido apresentado em grandes concertos por vários pontos do país, sempre com casa cheia.
Durante duas horas de espectáculo, Tony Carreira, contará com o apoio de cerca de 40 pessoas na montagem do espectáculo.
No final do concerto está prevista uma sessão de autógrafos.
Tony Carreira gravou o primeiro disco em 1991, intitulado ‘É Verão em Portugal’. Em 1992 grava ‘Canta Canta Portugal’.
Em 1995 grava ‘Ai Destino’, que o projecta definitivamente por todo o pais e comunidades de emigrantres. ‘Sonhos de Menino’, de 1997, torna-se outro sucesso do cantor e projecta-o defenitivamente como um dos ícones da música romântica.
Com uma carreira de 19 anos Tony Carreira já editou 16 álbuns (alguns deles gravados ao vivo) e já pisou os palcos de várias partes do mundo.
Os bilhetes para o concerto de Valença poderão, ainda, ser adquiridos na Biblioteca Municipal, União Empresarial do Vale do Minho e Postos de Turismo do Alto Minho.

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Festival de Artes de Rua de Valença 07

Durante 4 dias Valença, 26, 27, 28 e 29 de Julho, será o maior palco do Mundo. Não fique em casa traga os mais pequenos e os mais graúdos porque este é um festival para toda a família. Venha rir e esquecer por alguns momentos as preocupações do dia-a-dia. Há coisas que só Valença faz por si.
Desde tempos imemoriais que o lar é o sinal do conforto, da quietude, do bem-estar, da integração social e do sucesso. Ao contrário, a rua foi, e ainda é, infelizmente, o lugar dos marginais, dos mais pobres, daqueles que à míngua de tudo procuram uma saída. Contudo, com o evoluir dos tempos, as concepções sobre a rua foram mudando.
No início do século XX, Lenine gritava por um mundo novo e mais justo. Emily Dickinson clamava pelo direito de voto para as mulheres, outros gritavam contra a guerra, que não sabiam que seria a primeira guerra tecnológica, os restantes vociferavam contra as misérias de uma sociedade em transformação. Diversos gritos ecoavam nas ruas e era delas que saíram algumas das transformações mais profundas da história da humanidade. A rua era o palco onde todos sabiam que as suas manifestações poderiam ser ouvidas ou vistas. A rua não era, então, somente o lugar dos marginais. Até os políticos se aperceberam da sua importância quando queriam fazer passar as suas ideias. A rua transformou-se então no maior palco do mundo, onde gente carente de felicidade ou gente feliz se mostrava ao mundo.
A primeira metade do século XX foi o tempo da reabilitação da rua. Todavia tivemos que esperar pela revolução dos anos 60 para que as coisas mudassem. Depois da II Guerra Mundial, o Plano Marshall e a recuperação económica acabaram por fazer nascer uma nova geração, para a qual o dinheiro ou o sucesso profissional não eram as únicas preocupações. O seu idealismo e os seus sonhos diziam respeito também outros. A rua volta de novo a ser um lugar de expressão. O lugar daqueles que gritavam contra as injustiças, contra a guerra e reclamavam por um mundo melhor. Pela primeira vez na história do mundo, a rua deixou de ser apenas o lugar daqueles que não tinham lugar na sociedade. A Rua transformou-se num palco. Passou também a ser um cenário, onde muitos artistas talentosos conseguem expressar o que melhor sabem fazer.