terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Gins vínicos bebem ca casta Alvarinho em Valença

 Castas nobrès como a do vinho Alvarinho estão a entrar na composição do gin, uma bebida destilada à base de cereais e que parece ter entrado de forma definitiva para os hábitos de consumo dos portugueses.
Depois de ter virado moda, o mercado foi inundado por marcas novas e cada vez mais por propostas diferenciadas. 
     Os gins com base vínica, embora não sejam novidade, são agora uma das principais tendências, e o Alvarinho é a casta de eleição dos produtores. O "Edmundo" produzido com base no Alvarinho Reserva da adega Edmundo Val, situada na freguesia de São Julião em Valença, é a mais recente entrada no mercado.
     "Os gins da linha vínica são uma tendência e a prova está no Nordés, que é um dos cinco gins mais vendidos em Portugal. Em 2016, vendeu cerca de 50 mil garrafas", afirma João Guterres, proprietário da empresa de distribuição Decanter Vinho. A garrafeira sediada em Valença é a representante nacional do Nordés Atlantic Galician, um gin galego concebido a partir de uvas da casta "Alvariflo" (em galego) e enriquecido com dez botânicos que incluem flor de vinha. 1700 marcas em Espanha Foi dos primeiros gins com base vínica a dar cartas no mercado, quando se deu a explosão da procura da bebida. "Há sete anos havia 530 marcas de gin em todo o mundo, presentemente só em Espanha existem à volta de 1700 marcas. Sem falar nos portugueses. 
       Nós também temos aigim", afirma João Guterres, referindo que os vínicos "contam-se pelos dedos de uma mão". E os de Alvarinho são três. O gin perfeito O "Edmundo" saiu para o mercado em novembro com uma edição limitada de 2366 garrafas, todas numeradas e assinadas pela enó loga Olalla Ruibal, que o produz em parceria com o irmão Pablo. A base do gin dos irmãos galegos, que se instalaram em Portugal e produzem por ano cerca de 30 mil garrafas de um Alvarinho Reserva, é o seu próprio vinho. Pablo
Ruibal considera-o "o gin perfeito". 
     "Testamos durante três anos com o álcool do nosso vinho, procurando que fosse uma bebida suave, e finalmente chegamos a este gin, que pode não ser o melhor do Mundo, mas era o que procurávamos e é perfeito para nós", refere o produtor. 
       Segundo o distribuidor João Guterres, que comercializa o "Edmundo", com Alvarinho na composição existe ainda um outro galego, o Ginabell, com pouca expressão no mercado. Da linha vínica mas de outras castas indica ainda um português, o "Adamus", com base na Baga da Bairrada. E, finalmente, o francês G'Vine, um dos mais antigos e raros gins com base vínica que há à venda em duas versões. É um destilado de uvas e infusão de flores de vinha. 
in Jornal de Notícias