terça-feira, 31 de maio de 2016

Aeródromo de CERVAL – Um paraíso onde se pode voar

Num cantinho do Alto Minho está sediado o aeródromo de Cerval que se encontra dividido sensivelmente entre Portugal e Espanha, e o seu nome advém das iniciais das respetivas localidades onde se situa, Cerveira e Valença. A principal mais-valia é a sua localização estratégica, permitindo realizar eventos e receber  pilotos de vários pontos do país e da Europa. Estão certificados para aviação ultraleve há 20 anos, mas a direção tenciona alcançar outros voos.
Atualmente as duas autarquias trabalham em conjunto para um desenvolvimento e dinamização do aeroclube, estando já previsto obras de requalificação do aeródromo e aumento da pista.
O Aeroclube de CERVAL surgiu da união de pilotos, portugueses e espanhóis, em 16 de setembro de 1992. O aeródromo iniciou-se com seis aviões e foram-se agregando mais pilotos levando ao seu crescimento e posterior criação de uma escola de voo, que forma e atualiza pilotos. Atualmente o aeroclube conta com cerca de 80 sócios, entre os quais efetivos (pilotos) e extraordinários (não pilotos), com o valor da quota ajustado à sua condição. O aeroclube tem vindo a adquirir novos sócios e a crescer, contando atualmente com 60 aviões, perfazendo já uma área de hângares de cinco mil metros quadrados. De salientar que o aeroclube de CERVAL tem orgulho de não registar qualquer tipo de acidente desde a sua formação, tendo nas estatísticas mais de 30 mil horas de voo, o que daria para dar mais de 130 voltas ao planeta Terra. Segundo a direção, a união de pilotos portugueses e espanhóis veio proporcionar ao aeroclube um maior crescimento e dinamização: “Trabalhar em conjunto foi o melhor que fizemos. Temos organizado o aeroclube de CERVAL, o que favoreceu a permanência de pilotos oriundos da vizinha Galiza, dado que estamos situados num concelho muito pequeno, com poucos habitantes e pilotos. Em Espanha temos a cidade de Vigo, Pontevedra, grandes centros populacionais, e pode dizer-se que 70% dos pilotos são espanhóis e 30% portugueses. A visita de espanhóis é muito importante para nós. Se somos o maior aeródromo de Portugal, devemos aos nossos colegas da Galiza que nos vieram dar mais vida”, afirma José Gomes, vice-presidente e diretor do aeródromo. O crescente sucesso do aeroclube deve-se também à boa relação da direção luso-espanhola: “Há uma colaboração grande, estamos em casa”, completa José Torres, presidente do aeroclube.
Para dinamização do aeródromo realizam-se vários eventos ao longo do ano que trazem visitantes portugueses, e na sua maioria de aeroclubes espanhóis.
Entre os vários eventos destacam-se: a Volta Ibérica que tem duração de cerca de uma semana, percurso que tanto pode ter início em Portugal como em Espanha; a Aterragem na Praia América que se destaca pelo aterrar de cerca 30 aviões no lugar que dá nome ao evento; a Volta APAU (Associação Portuguesa de CERVAL – Um paraíso onde se pode voar AERÓDROMO DE CERVAL Aviação de Ultraleve) que traz ao aeródromo cerca de 60 aviões; e o evento mais importante, o Festival Aéreo que se realiza no dia 9 de julho, aniversário do aeroclube (que completa 24 anos), onde se pode assistir a várias atividades como, acrobacia aérea, paraquedismo, aeromodelismo, entre outros. 
Para um futuro próximo está previsto uma intervenção apoiada pelas Câmaras de Cerveira e Valença, que visam asfaltar a pista e taxi ways e aumentá-la para os 750 metros e melhoria dos acessos, permitindo a sua certificação para aviação ligeira, trazendo ao aeródromo outro tipo de aviões. A direção considera que a requalificação das infraestruturas do aeródromo são benéficas não só para o clube, mas também para a região, principalmente a nível turístico. 
in Empresas +