domingo, 10 de abril de 2016

Valença do Minho — Cidade Raiana

Separada de Espanha pelas águas do Minho, por Valença passaram celtas, romanos, suevos e árabes. A história desta cidade raiana remonta à Idade do Ferro mas o momento em que se destacou foi mesmo na defesa da portugalidade.
Com Espanha ali em frente, Valença teve que arregaçar mangas para proteger o território nacional. Neste caso, foi mais pôr mãos à obra e construir um sólido sistema defensivo.
Estamos no século XII e Valença — à época denominada Contrasta —, devido à localização estratégica, ganha um enorme protagonismo na defesa da fronteira com Tui e Pontevedra, além de ser também um bom ponto de vigia e ataque. É pela mão de D. Sancho I que lhe é atribuída a carta de foral e que se dá início à construção das muralhas no interior das quais ficavam a urbe e todos os serviços de cariz militar. Mais tarde, as muralhas estender-se-iam a toda a cidade e ainda hoje é possível encontrar vestígios dessa construção medieval. A Fortaleza de Valença é uma obra mais tardia, remetendo para o século XVII, altura da Guerra da Restauração e em que se impunha uma defesa mais agressiva. O desenho original foi de Miguel Lescole mas seria um aluno seu, engenheiro militar, a pô-lo em execução.

Em 1700, a fortaleza estava finalmente construída, apresentando duas áreas distintas — a chamada Vila que incluía a parte principal de Valença e a Coroada, localizada a sul e ainda por desenvolver. Estas duas zonas, ligadas entre si pela Porta do Meio, estavam ainda protegidas pelos baluartes da fortificação (dez ao todo) e fossos. Cerca de 5 km de sistema defensivo em redor da cidade raiana. Com esta obra, Valença passou a ser uma referência na defesa fronteiriça de Portugal, para além de ter sido admirada em toda a Europa pela sua arquitetura militar bastante inovadora. Apesar das diversas intervenções, sobretudo de conservação, a que foi sujeita durante o século passado, a Fortaleza de Valença mantém a sua originalidade e robustez. Razões que fizeram com que a fortificação, Monumento Nacional desde 1928 e candidata a Património da Humanidade da UNESCO, fosse visitada por mais de 2 milhões de pessoas em 2015.
Dentro de muralhas, para além das inúmeras lojas de comércio tradicional, onde pode aproveitar para comprar um Lenço dos Namorados, há também um significativo património histórico. Exemplos disso são a capela Militar do Bom Jesus, a Igreja de Santo Estevão ou o Marco Miliário Romano. Sobranceira ao rio Minho, com Galiza à vista, Valença é uma das mais interessantes localidades do Norte de Portugal.
in Via Verde